domingo, 13 de novembro de 2011

A idade da esfinge



O conhecimento humano  geralmente só apresenta uma boa base quando submetido a uma boa discussão e, portanto, os conflitos fazem parte desse processo que visa fortalecer determinados argumentos.  O problema é quando as idéias são muito avançadas a ponto de desafiar a própria compreensão de algo, impossibilitando tais discussões e tornando idéias ou teorias em algo real, sem nenhuma contestação.

As ferramentas criadas pela humanidade foram fundamentais para o desenvolvimento da sociedade, mas também impediram que essas pessoas desenvolvessem  sua intelectualidade de maneira natural. Entramos num processo de regressão intelectual, onde todo o desenvolvimento é baseado na crença incontestável da técnica.

Copérnico descobriu que a terra não era o centro do universo, baseando-se em estudos bem mais antigos, mesmo mantendo a idéia de que o sistema solar era, e, portanto, o sol também.

Os estudos a respeito da idade da escrita cuneiforme e dos hieroglifos apresentam conflitos quanto a data precisa, mas apresentam uma data aproximada, isso mostra que, de certa forma, um estudo era baseado em outro, e isso é bom. O problema é justamente a falta de conflitos entre os estudiosos, o que poderia deixar passar muitos detalhes sem a devida correção.

Assim como os hieroglifos e escrita cuneiforme, as civilizações da mesopotâmia e egípicia foram todas datadas de cerca de 2.500 anos a.c, ou seja, 4.500 anos atrás. Isso até que John West notasse a erosão na esfinge, ao contrário das erosões de outros monumentos de Gizé, a erosão na esfinge era vertical.

Como não há chuvas no deserto, capazes de provocar tal erosão, chegou-se a conclusão de uma data de 10.500 a.c, quando teria Havido chuva nessa região. Isso também levaria a conclusão de que as pirâmides do Egito e a esfinge foram construídas em épocas distintas.

... e a astronomia e o cinturão de Orion entram na teoria também, para onde a esfinge  esta voltada.

A esfinge foi contruída, voltada para a sua própria imagem no céu, Osíris, mostrando também a data de sua construção, cerca de 10.500 a.c.

Os Egípcios tinham essa precisão técnica, mesmo sem os poderosos telescópios, tudo era construído baseado nas estrelas do céu.

Conclusão: Hoje, os maiores pesquisadores do mundo estão queimando seus neurônios para descobrir quando as pirâmides foram construídas, os conflitos não ocorreram ao mesmo tempo, mas por causa dele, e no mesmo espaço.

Qualquer mudança nos estudos já concluídos, forçará os estudiosos a reverem todos os seus conceitos. Os antigos não perderão seu reconhecimento, continuarão sendo a base para um conhecimento muito mais avançado.

Talvez o homem primitivo leve outros dez mil anos até descobrir o que as antigas civilizações desenvolvidas já sabiam, há mais de dez mil anos atrás, isso se não nos autodestruirmos antes.

Esse será o nosso castigo, por termos eliminado da face da terra todo o conhecimento que aqui havia, apenas por ambição, preconceito e medo.

Precisamos ouvir mais os loucos, como Raul Seixas: "Eu nasci há dez mil anos atrás."

By Jânio



Postar um comentário