quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Famílias abandonadas




Hoje, eu vi uma notícia muito interessante, relacionada ao futuro de delinquentes com menos de doze anos. Está se tornando cada vez mais comum, uma criança de dez anos roubar ou destruir propriedades privadas.

Quanto às medidas a serem tomadas, cada pessoa tem uma opinião:

Num país de disciplina rígida, como a Inglaterra, uma criança de dez anos poderia ser condenada a pena de morte, mas, depois da última polêmica, a pena de morte foi transformada em prisão perpétua.

Antes que se chegue a esse ponto, há um processo longo em internatos, abrigos para menores deliquentes ou cadeias juvenis. Casos de crianças delinquentes são raros em países desenvolvidos.

Famílias desestruturadas, como está ocorrendo no Brasil, resultam em menores abandonados ou malcriados, delinquentes juvenis. Um problema que deixa dúvidas é o que fazer com eles.

O Brasil tem duas faces, de um lado o cartão postal das grandes regiões metropolitanas, impulsionado pela classe média alta e pelo funcionalismo público de alto escalão, que detem o poder em suas mãos, do outro lado estão os favelados, pobres e classe média baixa, tentando sobreviver.

O lado mais pobre procura deixar seus filhos em creches, para que a família toda possa trabalhar. O problema é que nem todas as crianças podem ficar em creches ou escolas e, nesse caso, a sorte é lançada.

Se com uma família decente já há o risco de uma criança sair do bom caminho, imaginem uma criança sem família.

Enquanto essas crianças estão nos morros, em comunidades das favelas, não incomodam as autoridades, o problema é quando esses problemas descem dos morros.

Normalmente as crianças delinquentes, com mais de doze anos, ficam em instituições como a FEBEM, Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor, mas como o problema está aumentando, querem mudar a lei. Prender uma criança com menos de dez anos, seria muito bom para a alta sociedade brasileira, mais uma lei imperialista para satisfazer os ricos.

Pagar um salário mínimo para uma mãe solteira, seria um escândalo. O que ninguém imagina são as consequências na mente de uma criança, dentro de uma prisão.

Por muito menos, sociopatas como Wellington Menezes e Andrew Breivik causaram chacinas, eternizando seus nomes nas enciclopédias e livros de Direito, Sociologia, Teologia, Psicologia e outros. Essa é a glória dos desgraçados.

By Jânio

11 comentários:

LISON COSTA disse...

Saudações!
Amigo JÂNIO:
Muito bem construído o seu artigo abordando tema tão delicado e triste. Só acrescentando uma coisinha, é que as vítimas, diretamente e indiretamente se tornam uma fonte de riquezas para a indústria catalisadora de recursos do estado. É ai que entram em atividade as grandes corporações como as Ocips, Ongs, Fundações e uma parafernália de associações de alguns credos picaretas. Todas atuando em nome do bem estar social, recebendo isenções fiscais de toda a ordem. Quanto aos quadros destas entidades, se encontram exímios profissionais qualificados e na maioria das vezes ainda contam com a força política malfeitora azeitando a máquina eleitoreira em prejuízo de todos.
Parabéns por mais uma excelente matéria!
Abraços,
LISON.

Anônimo disse...

Um texto real amigo Janio, aqui tem piorado muito a situação dos menores infratores,não vejo esperança, pode melhorar se investirem em educação,cursos técnicos para os pais trabalharem e as crianças não ficarem só, ou nas ruas.
Abraço.

Jânio disse...

Olá Lison:

Muito bem lembrado dos mecanismos obscuros por trás das ORGs.

Para que cada pessoa fosse beneficiada pelas ORGs, seria necessário que cada pessoa tivesse sua própria ORG, ou seja seu cartão banco.

Seria necessário também que o governo fiscalizasse e parasse de nomear seus compadres para tomar conta dos recursos públicos.

ABS

Jânio disse...

Olá Fátima:

Antigamente, você deve se lembrar bem, apenas os homens trabalhavam, e a renda era a mesma de hoje.

Para melhorar a renda, hoje, toda a família trabalha, mesmo assim não dá para cuidar da própria família, deixando os filhos abandonados.

Essa terceirização da educação dos filhos, tem um preço. Mudar a lei vai tornar-nos cada vez mais bizarros.

ABS

Estagiária sofredora disse...

Você sabe me dizer qual situação ocorre na foto que ilustra sua postagem? O que essas pessoas estão fazendo? Sabe onde fica?

Jânio disse...

Olá Estagiária:

Infelizmente eu não tenho dados sobre essa foto.

A foto serve, como você bem disse, apenas para ilustrar o texto. Eu só tenho intensão de divulgar o texto também.

Qual é o motivo da pergunda?

ABS

Psicóloga disse...

triste realidade...

é algo que deve ser visto de modo global, como bem colocado em seu artigo...

há a responsabilidade da família e também dos órgãos públicos que deveriam fazer mais do que fazem para aqueles que necessitam...

http://olhardepsicologa.blogspot.com/

Jânio disse...

Olá Psicóloga:

É isso mesmo.

Quando pensarem e parar de roubar, quando o político for proibido de ficar rico e de ter conta na Suíça, aí sim, estaremos trazendo as mães de volta para suas casas e para junto de seus filhos.

ABS

Anônimo disse...

meu amigo,isso nunca vai mudar.E vai:prá pior.Voçê acha sinceramente q uma situação iniciada desde a colonização,apenas mudando os personagens,PERMITIRIA mudanças para melhor? Qual o percentual de pessoas com, nível superior, que sabe quais são os 3 poderes? E quais suas respectivas atribuições? Enquanto houver esse "toma lá dá cá",enquanto houver imprensa manipuladora,carnaval,futebol,novela das oito e samba...Morre diabo!

Anônimo disse...

Amigo, enquanto houver novela das oito,carnaval,futebol e samba, o gigante continuará deitado eternamente em berço esplêndido!

Jânio disse...

Olá Anônimo:

Então precisamos iniciar uma campanha para informar as pessoas sobre o perigo da televisão, para que depois não venham com essa desculpa de que o povo brasileiro não sabe que é manipulado.

ABS