terça-feira, 19 de julho de 2011

A glória dos desgraçados



Ninguém gosta de ser chamado de rico no Brasil, já que para ser rico, seria preciso cometer crimes. É impossível ser rico, com as taxas de impostos que são cobradas.

A vida dos pobres também não agrada os ricos, já que os pobres brasileiros são vistos, pelos ricos, como miseráveis. Filas de hospitais, escolas públicas, lojas populares, nem pensar, rico exige respeito.

Depois de quase dez anos de socialismo, tanto de direita, quanto de esquerda, os pobres finalmente conseguiram status de protegidos do Estado. São muitos projetos sociais, para tentar dividir o pouco das riquezas que não foram roubadas.

Ajuda, para quem ganha menos de um salário mínimo - é difícil de acreditar que alguém viva com 1/2 salário mínimo - salário para quem está preso - se todos são contra o salário para presidiário, imaginem se o governo pagar salário para mãe solteira.

O velho ditado "quem não chorar não mama", nunca fez tanto sentido.

A Inglaterra criou a Eugenia racista como uma forma de controlar o poder, não deu certo para a democracia. A sociedade foi então dividida em classes, para evitar que os pobres se identificassem uns com os outros e fossem maioria, e deu certo até a grande crise mundial.

As pessoas que reclamam, através de sindicatos e associações, poderão ter direito a beneficios do governo. Pessoas mais organizadas, educadas, terão informações sobre direitos negados ao resto da população mais pobre.

A decisão da OAB de barrar bacharéis mal formados, acaba com o sonho da classe média baixa de ter advogados populares, ficando todos na classe dos pobres, ou seja: "Você está preso. Você tem o direito de permanecer em silêncio; tudo o que você disser poderá e deverá ser usado contra você no tribunal. Você tem o direito de ter um advogado presente durante qualquer interrogatório. Se você não puder pagar um advogado, um defensor lhe será indicado."

Para os ricos, deveriam dizer seus direitos em inglês: "You have the right to remain silent; anything you say can and probably will be used against you at your trial. You have the right to have an attorney present during questioning. If you cannot afford an attorney, one will be appointed for you."

A única coisa que o rico sabe dizer é: "Não me lembro". Pobre, se disser "não me lembro", entra na bordoada.

Há filas em que os pobres se encontram com a classe média, como é o caso do pró-uni, mas somente os pobres que passarem pela burocracia desse sistema, terão direito a participar dessa concorrência. A disputa está ficando tão acirrada que nem está valendo mais a pena se inscrever.

Entre as vantagens de ser pobre, estão: União, os pobres dormem todos em um só quarto; Organização, usam um só banheiro; Religiosidade, pobre só pode acreditar em Deus, num país onde a alta sociedade age sempre por interesse; Fé, a maioria dos pobres, como eu, acreditam que irão para o céu, já que o sofrimento e a honestidade devem ter algum sentido, aliás, essa é uma fila onde o pobre está sempre na frente do rico, sempre morre primeiro.

Pobre não precisa de academia...ou você acha que servente de pedreiro não faz força?

Pobre de verdade não tem medo de ladrão. Até porque ladrão só anda atrás de quem tem dinheiro, pobre não tem dinheiro para ser roubado, só conta para pagar.

Não temos médicos em nossa classe, portanto, não entendemos nada de medicina, mas sabemos tudo sobre doenças.

Quando convidei um médico de Curitiba para ser meu sócio, ele achou que eu estava brincando - "Doutor, eu conheço quase todas as doenças que o Senhor estudou na teoria, e eu conheço na prática".

Não temos mais estradas, então, o pobre ganhou direito de viajar de avião, desde que não se importe em esperar oito meses por uma promoção. Tudo bem, pobre não tem dinheiro, mas também não tem pressa.

Decisões anti-democráticas tem enfrentado problemas junto a população brasileira, isso tem acontecido pelo fato de a maioria ser pobre. A pirataria dos camelôs transferiu-se para a internet, e, se a velha ladainha "vai estragar o seu aparelho", já não fazia sentido, agora faz menos sentido ainda.

Os celulares de cartão deram a chance dos pobres usarem telefone, sem preocuparem-se com a conta no fim do mês. O problema do celular é com a criminalidade, deixou os bandidos muito mais organizados, ficou mais fácil controlar a polícia, criar logísticas, etc.

Os pobres finalmente provaram para a classe média que são mais fortes na democracia, as migalhas que iam para a classe média, agora vão para os pobres. A guerra continua, mas quem ganha são os ricos.

A única forma de promovermos mudanças, será uma boa educação dos pobres, educação cidadã. O Governo não pagará por essa educação, já que não lhe interessa ter uma sociedade educada, ciente de seus direitos.

Como diz o livro "Morte e vida Severina", pobre sofre tanto, que quando acontece alguma coisa boa, não há dúvida, é um milagre.

Se uma criança nasce, fica bem claro que o milagre da vida não pode parar.

By Jânio
Postar um comentário