sábado, 23 de fevereiro de 2013

Ataque ou defesa nuclear?



A Agência Americana de Pesquisas de Projetos Avançados de Defesa (DARPA) criará um programa com métodos  para sobreviver a um desastre nuclear e salvaguardar a saúde, depois da exposição aguda à radiação.

Os danos causados pela falha no reator nuclear de Fukushima, Japão, em 2.011, causou preocupação nos EUA no que diz respeito a preparação do país para tratamento em grande escala, em caso de exposição  humana a radiação ionizante, gerada por uma liberação de material radioativo. A agência busca encontrar uma melhor compreensão dos efeitos biofísicos que a radiação tem sobre o corpo humano, minimizando ao máximo.

A DARPA divide seu programa de pesquisa em três áreas principais. A primeira é "profilática" e abrange a neutralização dos efeitos da radiação ionizante, antes que comece a causar danos graves nas células. A segunda inclui formas de atenuar os efeitos da exposição aguda a longo prazo, incluindo a redução de casos de câncer. A terceira dedica-se a compreender melhor e examinar os danos genéticos e celulares causados pela radiação.

"Os pesquisadores obtiveram certo êxito no desenvolvimento do tratamento para evitar, a curto prazo, a morte por enfermidade radioativa, mas ainda há muito o que estudar sobre como a exposição aguda  afeta o corpo", disse Mildred Donlon, representando o escritório de ciência da DARPA.

Nesse sentido, Donlon disse que os pesquisadores esperam que seu novo programa lhes permita "desenvolver terapias e estratégias  mais eficazes para a sobrevivência a longo prazo."

Fonte RT-TV
Postar um comentário