terça-feira, 2 de agosto de 2011

A África pede socorro



A tragédia da seca na África, sempre foi o pior tipo de miséria do mundo, lembra histórias de mendigos miseráveis, dependentes de pessoas que não os suportam.

Além da fome e da falta de água para beber, convivem com a violência da guerrilha local, que impede que a ajuda da ONU chegue até eles.

Para mim, isso tudo é desculpa.

A resistência dos habitantes da África é muito maior do que poderiam imaginar os miseráveis de espírito do primeiro mundo, algumas pessoas caminham centenas de quilômetros, desafiam a lógica da resistência e demonstram sua grande fé na vida e no homem. Por ironia do destino, a quantidade de pessoas que conseguem sobreviver a caminhada sem comer nem beber, ao deserto de 80 quilômetros, aos animais selvagens, é tão grande que a "ajuda humanitária" não está sendo suficiente para todos os sobreviventes.

Talvez não hajam campos de petróleo suficiente para comover o governo do mundo, os mesmos que controlam estadistas, mídias e todas as ORGs e instituições internacionais, destinadas a lavagem de dinheiro.

Teses, teorias, caem por Terra. Nesses momentos, até eu tenho que refletir sobre tudo o que aprendi, repensar sobre a possibilidade de começar tudo de novo.

Se Deus existe, ai de nós que teremos que pagar, um dia, pela falta de pão e água que falta aos irmão africanos.

Mesmo em regiões tão desoladas e pobres, quando pensamos em um pedaço de pão e um pouco de água, para que essas pessoas possam continuar sua caminhada, sem morrer de fome ou sede, penso que está havendo má vontade. Quantos soldados foram nescessários, para que a "paz" mundial fosse mantida no pobre país do Iraque?

Quanto dinheiro foi gasto para assassinar Osama Bin Laden, um homem que tantas vezes deu a própria vida e muitas mortes para que o Império americano fizesse valer suas vontades?

Hoje, os americanos descobriram da pior maneira, porque Kennedy foi assassinado, porque o Club de Bilderberg sempre desejou uma moeda universal.

Eu sempre digo que pessoas ricas não tem nação, seu dinheiro circula por todo o mundo, especulando e provocando a fome e a miséria, esse é o objetivo da globalização.

Apesar disso, a fé dos africanos é mais forte, é isso que os torna quase imunes a fome e a sede, fazendo-os chegar ao seu destino.

Se Deus escreve certo por linhas tortas, também é verdade que ele manterá essas pessoas vivas, superando a fome, a sede, leões e outros animais selvagens, para no fim pedir apenas um pedaço de pão e um pouco de água.

Será que poderemos fazer a nossa parte?

By Jânio
Postar um comentário