domingo, 12 de junho de 2011

Previsões econônimas para 2.011




A idéia do governo brasileiro de conter o crédito e reduzir o consumo, é uma medida anti-democrática, uma idéia que até a China já pensa em copiar. A China pensa em fazer isso só se a economia sair do controle.

Eu acho difícil a economia chinesa sair do controle, primeiro porque a China apresenta uma miséria que o governo chinês não mostra, sem dinheiro não haverá consumo; segundo porque a China é especialista em baixar os preços.

Os problemas que nos interessam são os problemas brasileiros, mas o governo não tem a mínima vontade de aumentar a concorrência no Brasil. A concorrência poderia baixar os preços, mas isso acabaria com os grandes monopólios que financiam a política do governo.

O governo prefere diminuir o crédito e o consumo, essa medida anti-democrática só é possível porque os jornalistas não tem coragem de mostrar as verdades dos bastidores do poder.

Essa medida passa uma idéia de que o povo está muito bem, com muito dinheiro, o que não é verdade.

Essa idéia de pagar juros altos para os Bancos retirarem o dinheiro de circulação, diminuindo os financiamentos, deixando a impressão que não tem dinheiro, tem aumentado os problemas brasileiros.

O governo tem atraído moeda estrangeira, derrubando ainda mais o dólar, comprometendo a exportação que tem deixado a balança comercial no vermelho nos últimos anos.

Essa tendência faz com que o capital especulativo entre cada vez mais no Brasil, e isso é muito perigoso. Capital especulativo vem fácil e vai fácil, sempre na hora errada.

Aumentar os juros nunca foi a melhor maneira de controlar a inflação, enquanto os grandes capitalistas estiverem no comando, promovendo o monopólio, sempre haverá alta da inflação. Só uma grande concorrência poderia combater o monopólio e a inflação.

Impostos altos também são um convite para a concorrência desleal e sonegadores ricos, quebrando a pouca concorrência que ainda há no mercado.

Analisando os números da lista abaixo temos:

PIB - Com o mundo inteiro em crise, o governo não se preocupa com um simples 4,5%. Se a idéia era desacelerar a economia, então será isso que vai acontecer, será de 4,5% para pior.

Portugal teve uma retração de - 0,7% no primeiro trimestre de 2.011, nesse mesmo período o Japão teve uma retração de - 0,9%. A diferença é que o Japão passou por uma grande catástrofe.

A Austrália teve a maior queda do PIB dos últimos 20 anos, - 1,2%, enquanto o Brasil esteve em sentido contrário, +1,3% no trimestre.

A Zona do Euro está em relativa recuperação, 0,8% no trimestre, 2,5% de crescimento se comparado ao ano passado.

Os melhores desempenhos do Brasil foram a agropecuária, serviços e indústria.

Previsão do governo para 2.011

PIB 4,5%

Inflação 5,7%

Taxa Selic 11,7%

Taxa de câmbio 1,61%

Petróleo 103,31

Inflação 6,5%

By Jânio
Postar um comentário