sábado, 16 de março de 2013

Justiça brasileira




Esta semana foi decisiva para casos policiais polêmicos, isso sempre acontece quando algum coronel da política, como Renan Calheiros, está na mira da sociedade. Julgamentos de casos polêmicos tiram a atenção e a força de ONGs que promovem as atividades de ativistas políticos e o Ministério Público.

01) Fernandinho Beira-Mar

Até Fernandinho Beira-Mar, quem diria, foi condenado novamente, dessa vez por comandar assassinatos de dentro da penitenciária de segurança máxima de Catanduvas, Paraná.

No caso específico de Beira-Mar, fica claro que há uma luta pelo poder, onde a marginalidade ameaça a autoridade corrupta da PPP. Naturalmente, ele não deverá sair vivo da prisão, até porque ele conseguiu desenvolver um pensamento corporativo muito peculiar, transformando o crime num universo poderoso e auto-sustentável, e isso assusta a PPP. 

Fernandinho Beira-Mar foi condenado a mais 80 anos, além da pena que ele já cumpria.

02) Mizael Bispo era sócio de Mércia Nakashima, advogada bem sucedida, também era o namorado dela. Amores, amores, negócios a parte.

O fim do romance entre uma mulher educada e de família, com um troglodita acostumado com a injustiça, só poderia terminar mal.

Mizael Bispo foi condenado a 20 anos de prisão.

03) Goleiro Bruno: 

Ao contrário de jogadores como Ronaldo, o outrora super-goleiro do Flamengo mostrou que não gosta muito de assumir as consequências de suas noitadas, pior para a desavisada Eliza Samúdio que sabia que iria morrer e deixou até um testamento de morte e justiça.

Assim como no caso Mércia, a tecnologia foi uma ferramenta valiosa para a justiça, dessa vez foi um vídeo que desencadeou uma justiça implacável, bem diferente da outra justiça que não gostaríamos de ver.

O goleiro Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão.

Todo culpado é inocente, até que a tecnologia prove o contrário.

Não é à toa que as cadeias estejam lotadas, afinal, na sociedade elitizada do Brasil, a polícia não protege, apenas exerce o seu poder de prender.

 - As pessoas arrumam encrenca, e acham que somos obrigados a resolver as encrencas de todo o mundo.

 - Você não tem medo de ver tantas pessoas armadas? 

 - Eu não, eu nunca fiz nada para ninguém. Eu sou apenas um policial?

 - Você nunca prendeu ninguém?

 - Sim, eu já prendi, mas só  depois do registro de uma denúncia.

 - Então a polícia nem precisa andar armada?

 - Precisa, sim. Já pensou se algum bandido resolve se vingar?

 - Mas você nunca fez nada para ninguém...

O caso Isabela Nardoni:

Isabela Nardoni foi um caso único na justiça, um crime premeditado pela provocação de uma mãe vingativa que já sabia que o pai era culpado, mesmo antes do crime ter ocorrido. Talvez tenha sido o único caso polêmico a ser resolvido em tempo recorde, graças a participação de celebridades que levaram a tal opinião "pública" a pressionar as autoridades responsáveis pelo caso.

Nunca se viu tantos peritos e profissionais da polícia envolvidos em um único caso. 

Não foi só um condenado, foram dois, o pai e a madrasta. Pessoalmente, eu acho que mais pessoas deveriam ser condenadas.

Faltou só o Renan Calheiros, Paulo Maluf, José Sarnei, Antônio Belinati, Jaime Lerner ... 

By Jânio



Postar um comentário