segunda-feira, 18 de março de 2013

Aspirina pode cegar




O consumo regular de aspirina pode aumentar o risco de cegueira em pessoas idosas, segundo um estudo realizado por pesquisadores australianos.

Especialistas da Universidade de Sidney descobriram que aqueles que ingeriram  aspirina frequentemente durante anos e pacientes com problemas cardíacos, correm mais risco de desenvolver degeneração macular neovascular.

Esta enfermidade, relacionada com o envelhecimento, danifica as células da retina, obscurecendo detalhes da visão dos pacientes. Isso ocorre quando crescem vasos sanguíneos em áreas incorretas que ocasionam sangramento, inchaço, que por sua vez danificam a retina, revela o estudo publicado na revista "Jama Internal Medicine".

"O processo pode ser muito rápido. A visão pode deteriorar-se nos próximos dias e a idade, cigarro e até o histórico familiar são fatores de risco", destaca a pesquisa.

Para realizar os estudos, os especialistas acompanharam os hábitos de mais de 2.000 pacientes entre  60 e 70 anos, durante quinze anos, quando foram consumidas 257 aspirinas de maneira frequente. Aqueles que fizeram exames oftalmológicos após 5, 10 e 15 anos, revelaram que a AMD estava presente em 9,3% dos pacientes que consumiram aspirina pelo menos uma vez por semana, enquanto nos resultados gerais dos 2.000 pacientes, o problema surgiu apenas em 3,7%.

O relatório explica que "o aumento do risco de desenvolver degeneração foi detectada depois de 10 ou 15 anos, o que sugere o perigo de a dose ser cumulativa".

Fonte: RT-TV

Comentários: Não é a primeira vez que se faz pesquisas com remédios populares, especificamente com aspirina nesse caso.

Aspirina é um desses remédios que ficou popular e passou a representar muito dinheiro. Num mundo capitalista, não se pode tirar uma marca como essa do mercado.

A primeira vez que eu li algo preocupante relacionado com aspirina, eu notei dados muito mais chocantes que estes. O relatório falava de problemas nos rins e que a aspirina em altas doses já estaria sendo utilizado até por suicidas.

A prática de experiências com novas drogas experimentais que ainda não estão no mercado, era muito comum até bem pouco tempo, principalmente na África. O tema foi abordado até em um livro que deu origem ao filme "O Jardineiro Fiel", por isso, eu acho que esse tipo de pesquisa é bem polêmica.

Claro que no caso da aspirina constitui-se um  tipo de denúncia, já que não é obrigatória a participação, além do fato de o produto ser muito popular.

Devido a todos esses problemas detectados, a aspirina já deveria ter sido proibida, mas há quem ache que casos parecidos como o da aspirina, normais.

Segundo alguns médicos, o remédio para ser bom, tem de apresentar efeitos colaterais. "Remédio que não apresenta efeitos colaterais para mim não é bom", revelava um médico experiente.

Antigamente havia até um ditado: "Se o remédio não te matar, com certeza irá curá-lo, pois é de fato um remédio muito forte."

Está havendo uma demanda muito grande pela qualidade de vida e, pensando nisso, alguns profissionais passaram a se dedicar a essas áreas, ligadas a observação dos problemas modernos e também dos problemas de sempre.

Algumas pessoas incoerentes arriscam o consumo de drogas veterinárias e, sinceramente, eu não sei se os veterinários estão fazendo o contrário com os animais. O que sei é que o inferno já deve estar cheio de veterinários travestidos de médicos.

By Jânio

Derrame cerebral

Pressão alta


Postar um comentário