terça-feira, 22 de novembro de 2011

Fantasmas existem



Normalmente, fenômenos paranormais necessitam da ajuda de muitas pessoas para que possam ser explicados. Nem sempre a explicação será satisfatória, por isso faz-se necessário  que a pessoa que presenciou os fatos, acredite nas explicações dadas.

Como toda ficção baseia-se na realidade, tais fatos chegam até nós distorcidos, quando chegam.

Fantasias à parte, eu acho surpreendente como cada pessoa tem uma reação diferente diante do desconhecido.

Um dos fantasmas mais falados do mundo, trata-se de uma lenda urbana, é a famosa loira do banheiro, ou dama de branco nas zonas rurais. Não é muito comum no Brasil, os fantasmas daqui preferem locais isolados, talvez por nossas raízes, ou talvez pela própria natureza do fantasma de querer paz.

Há fantasmas bons e também há fantasmas maus, mas, se eu fosse você, eu não ficaria com medo não, só vê fantasmas quem quer vê-los.

Os relatos mais comuns de fantasmas, são de almas penadas que arrastam correntes, almas que gemem, como se estivessem sofrendo, etc. Eu via os tais gemidos como barulhos provocados pelo vento e as correntes eu via como algum som que não fora analisado o suficiente; atualmente eu não duvido de nada mais.

Histórias de trens ou navios fantasmas, são bastante comuns em países estrangeiros, eu desconheço tais fatos.

Wikipedia: "Fantasma, na crença popular, é a alma ou espírito de uma pessoa ou animal falecido que pode aparecer para os vivos de maneira visível ou através de outras formas de manifestação. Descrições de aparições de fantasmas variam no modo como estes se manifestam. A tentativa deliberada de contactar o espírito de uma pessoa morta é conhecida como necromancia, ou séance no espiritismo."

Segundo a Wikipedia, histórias de fantasmas são tão antigas quanto a pré-história e poderiam estar ligadas ao início das religiões.

Se isso é certo ou não, o que sabemos é que na idade média era muito comum tais fatos, sabemos também que a convivência entre vivos e mortos era quase sempre desastrosa.

... e eu me pergunto, o que leva uma pessoa a ter o dom de ver os tais fantasmas? A única explicação que eu vejo é que as pessoas querem ver, mas não é tão simples assim.

Uma pessoa com uma sensibilidade muito grande, pode ter o dom de ver as pessoas mortas. Como esse fenômeno torna-se inconveniente para ambas as partes, eles optam pelos locais isolados.

As poucas pessoas que tem a oportunidade de ver as pessoas mortas, preferem não comentar sobre o assunto. Nem mesmo as pessoas mais velhas e mais moderadas sentem-se  a vontade para falar sobre tais aparições.

Falar sobre fantasma é uma cerimônia antiga, onde as pessoas se reúnem e passam a narrar casos estranhos, nem sempre protagonizados pelas pessoas que narram esses episódios. Normalmente ao redor de fogueiras, tudo o que aconteceu de estranho é contado como uma confissão.

A veneração aos mortos, como no caso da cultura chinesa, onde servem comida aos mortos para que estes não retornem ao mundo dos vivos, parece fazer sentido. Pessoas mortas não gostam de sentir-se mortas, e quando alguém tem o dom de vê-las, elas se sentem vivas e se negam a abandonar o mundo dos vivos.

A pior coisa que alguém poderia fazer com uma pessoa morta,  seria tentar tocá-la, ou servir-lhe alimentos, isso faria com que essa alma se sentisse verdadeiramente morta, por não poder tocar nada.

O funeral é um ritual que quase sempre funciona, convencendo o morto de que ele realmente morreu, mas, em alguns casos isso não é suficiente.

Talvez os chamados espíritos malignos da noite não sejam da mesma natureza dos fantasmas que convivem de maneira mais harmoniosa com os vivos, mesmo em caráter provisório. É possível que as entidades da noite, assombrações, estejam além do conceito da vida e da morte.

A fumaça provocada pela respiração, nos dias frios, passou a ser relacionado com espírito (spiritus (respirar, expirar)), do latim, e pneuma (alma), do grego. Até na Bíblia, Deus sobra a alma no corpo de Adão.

Wikipedia: "Visão de um cientista - Joe Nickell, do Committee for Skeptical Inquiry, escreveu que não existe evidência científica crível de que qualquer localidade foi habitada por espíritos de mortos. Presenciar fantasmas seria consequência das limitações perceptivas humanas e explicações físicas comuns, como por exemplo a mudança na pressão atmosférica em algumas casas que fazem com que as portas batam, ou as luzes de um carro refletidas através de uma janela durante a noite. A pareidolia seria também outra razão que, segundo os céticos, levam pessoas a acreditarem que viram fantasmas. Relatos de fantasmas vistos "pelo canto do olho" podem ser relacionados à sensibilidade da visão periférica humana. De acordo com Nickell, a visão periférica pode ser facilmente enganada, especialmente tarde da noite, quando o cérebro está cansado e mais propenso a interpretar de maneira equivocada sons e visões.

Alguns pesquisadores, como Michael Persinger da Laurentian University, no Canadá, especularam que as mudanças nos campos geomagnéticos (provocadas pela pressão do núcleo terrestre ou por atividade solar) podem estimular os lobos temporais do cérebro e produzir muitas das experiências associadas a fantasmas. Acredita-se que o som seja outra causa de supostas aparições. Richard Lord e Richard Wiseman concluíram que o infrassom pode fazer com que humanos isolados em um cômodo experimentem sentimentos estranhos, como ansiedade, tristeza, sensação de estar sendo vigiado e até mesmo calafrios. Desde 1921 especula-se que o envenamento por monóxido de carbono, que provoca mudanças de percepção nos sistemas visuais e auditivos, pode ser uma possível explicação para casas assombradas."

Lendo esse texto da Wikipedia, fico imaginando como as teorias científicas podem ajudar e unir-se a cultura tradicional. No lado tradicional, essas teorias científicas poderiam ajudar a explicar a sensibilidade de certos indivíduos, que conseguem ver o que nenhuma outra pessoa sente.

... contudo, para uma pessoa que vê de fato um fantasma, nenhuma dessas explicações será suficiente para convencê-la, seria mais fácil acreditar que tudo não passou de um sonho, ou de um terrível pesadê-lo.

By Jânio

Postar um comentário