quarta-feira, 22 de julho de 2015

Trabalho infantil



O Brasil é cheio de controversas jurídicas, num país com  grande concentração populacional e financeira, parece natural também as concentrações de investimentos em infraestrutura. Isso acontece porque os grandes promotores dos políticos estão por aqui, atraindo a melhor educação, investimento, etc. É verdade que muita gente reclama, mas do outro lado do país é pior.

O crescimento e concentração de investimentos em São Paulo e Rio de Janeiro atraiu gente do país inteiro, alguns vieram de fora também, patrocinados pelos que já estão aqui. É por isso que a pobreza aumentou, pessoas que vem de fora sem patrocínio, são como peixes fora d'água.l

O evolução do sistema capitalista e decadência da política transformou a maior região metropolitana da América Latina em uma mistura explosiva de Argentina e México. A Argentina possui a maior concentração populacional  da América do Sul, pelo que eu tenho visto até agora, mas é mais fácil controlar um país do tamanho da Argentina, ou pelo menos seria, se a mão-de-obra escrava do Brasil não desequilibrasse a economia por lá. No caso do México, o país já foi controlado pelos traficantes, principalmente nas regiões mais abandonadas e nas fronteiras com os Estados Unidos. A força econômica do tráfico inspirou o movimento de legalização da maconha em países afetados pela crise e poderá derrubar de vez o Estado mexicano.

No Brasil sempre testemunhamos leis idiotas como é proibido: fumar em locais públicos, dirigir depois de beber e, recentemente, um movimento contra dar palmadas no bumbum das crianças. O caixa dois em campanhas políticas e o pagamento de propinas parece que foi inventado pelo PT, já que só os "companheiros" foram presos, políticos do PMDB sequer foram indiciados.

Eu continuo achando que adotar leis de primeiro mundo num país como o Brasil é muito perigoso e, mesmo que essas leis fossem adotadas apenas em grandes regiões metropolitanas, apenas dois estados poderiam pensar em adotar, São Paulo e Rio de Janeiro, seria preciso que a gestão administrativa do país fosse descentralizada, ou seja, cada estado pudesse decidir sobre as leis mais polêmicas, como acontece nos EUA, se bem que eu acho que leis como eutanazia e pena de morte teriam poucas chances em países latinos de terceiro mundo.

Eu diria que a criminalidade no Brasil só existe de fato quando é noticiada pela televisão, deve ser por isso que a proibição de trabalho infantil causou tanta estranheza. A proibição do trabalho infantil é outra lei idiota como tantas outras que existem por aí.

Não existe nenhuma lei proibindo crianças de rua a passar fome ou cheirar crack na cracolândia e, mesmo que houvesse, ninguém respeitaria tal lei.

Com certeza é melhor ver uma criança trabalhando que passando fome ou se prostituindo e, naturalmente, depende do tipo de serviço e da idade da criança. Leis idiotas são muito genéricas e teóricas, necessitam de regulamentação e não ajudam em nada, apenas atrapalham. Todos os crimes constitucionais estão previstos em lei, só não entende se for trouxa. A burocratização exagerada apenas torna os juízes mais estúpidos e sem noção, além de elitizados é claro.

A proibição de crianças na TV pode ser uma grande burrice, mas ainda é cedo para dizer onde vai dar isso. O que eu sei é que isso tudo é muito estranho num país tupiniquim como o Brasil, onde há problemas mais urgentes para se resolver. Até países como os EUA tem milhares de crianças "trabalhando" em funções leves como entretenimento, eventuais problemas psicológicos, entre outros, são provocados por famílias desestruturadas ou falta de educação, ou seja, não basta cuidar da criança, é preciso pensar na família como um todo.

Então, vamos ficar assim: criança com 16 anos pode beber, fumar, votar, matar e morrer, mas trabalhar, nunca.

By Jânio

Você também pode gostar de:

Legalização das drogas

Legalização da prostituição

O desejo mórbido da pena de morte


Postar um comentário