terça-feira, 15 de janeiro de 2013

O mundo em cinzas




A verdade só interessa aos controladores do sistema quando eles tem alguma vantagem nisso, caso contrário, todas as verdades estarão restritas a algumas organizações secretas.

Pessoas menos favorecidas, diante das autoridades, são obrigadas a responder sim ou não, exceto aqueles que conhecem a alternativa do "não me lembro", mas, mesmo no caso da resposta ser "não me lembro", as autoridades usarão as provas e testemunhas para pressionar uma pessoa a dizer algo que acabará envolvendo-a em algo que talvez nem saiba do que se trata.

O inocente útil normalmente é utilizado quando há pressão da sociedade para que se resolva um determinado caso, e, nesse caso, até mais de um culpado poderão ser identificados.

Fora dessas áreas fundamentais para o controle do sistema, o que se prega é o contrário, uma realidade além do preto e branco. Dizem que devemos aceitar o meio termo e não somente o sim ou ou o não.

As possibilidades são muito limitadas quando é o sistema que impõe as condições, entretanto, a ética varia de acordo com o tempo e espaço, e é aí que mora o perigo.

Não há leis internacionais que possam julgar os EUA, isso porque são eles que controlam o mundo. No Brasil, não há uma lei na qual nossos políticos sejam submetidos.

Devido ao longo tempo em que esse sistema vem sendo usado, fica quase impossível de se fazer justiça no Brasil, eles sempre tem uma saída, lícita ou ilicitamente. Durante mais de trinta anos eu pude presenciar como esse sistema criminoso funciona, de fiscais do Sarney até ao STF.

Enquanto o STF decide deixar de ser o testa-de-ferro do mensalão, ao mesmo tempo em que libera os assassinos da freira americana, os políticos decidem que o STF não deve dar o veredicto final, ou seja, voltamos a estaca zero.

Além da morosidade da lei, esse sistema, combinado com nossa memória fraca, consegue o impossível, provar que o errado está certo, com a ajuda da mídia de massa, é claro. Sai PSDB, entra PT, e já querem trazer o PSDB de volta, infelizmente, para eles, é preciso uma crise muito forte para que isso possa ocorrer.

O descontrole do poder está ocorrendo porque o Brasil nunca teve tanto dinheiro em suas reservas, e nunca teve tanta gente querendo roubar. Essa preocupação secular com o roubo, deixou o país sem saúde, transporte, educação, segurança, etc.

A saúde não preocupa tanto o sistema, afinal de contas, há excesso de escravos no mercado, entretanto, a educação e a segurança podem deixar a PPP em má situação.

As forças armadas foram a alternativa  para a segurança no Rio, em São Paulo, foi preciso mobilizar as polícias do país inteiro para conter o PCC.

Acontece que os problemas do Rio nunca acabaram, muito menos os de São Paulo. Como para aumentar o contingente de policiais  seria preciso aumentar os gastos públicos, e os cortes nos gastos públicos viraram moda mundial, é uma questão de tempo para que o mundo vire um caos.

Enquanto isso, as regras da família perfeita continuam valendo, regras como não poder mentir, nem sonegar impostos, muito menos mentir para a justiça.

... mas chega uma hora que ninguém aguenta.

By Jânio


A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa




Postar um comentário