quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Copom baixa taxa básica de juros para 7,5%



O novo corte na taxa de juros,  de 8% para 7,5%, feita pelo Copom, Comitê de Política Monetária do Banco Central, leva a taxa de juros para um novo recorde histórico. Com essa taxa, a poupança passa a ser a melhor aplicação do mercado financeiro, principalmente para quem já tinha aplicações antes das novas regras.

Esse novo corte já era esperado, assim como deverá ser o último de 0,5%. Segundo o governo já havia sinais de recuperação da economia e, portanto, não haverá necessidade de cortes tão elevados, já que o motivo desses cortes era a estagnação econômica do país.

A notícia parece boa, mas tem um lado meio bizarro nessa história.

A inflação sempre foi a maneira como a burguesia ganhava dinheiro, seja com especulação no mercado financeiro ou em seus próprios estoques de mercadorias e ativo imobilizado. A ausência de inflação indica que a burguesia perdeu o fôlego e corre o risco de se juntar às classes mais baixas.

Não tem havido redução dos impostos, isso indica que poderemos ter novas explosões de altas de preços no futuro, reforça também a ideia de que a burguesia está pobre demais para especular contra o sistema macro-econômico.

Fica claro que a máfia política, cartéis, corrupção e sistema elitizado,  continuarão imperando no país, assim como fica claro que não há nenhuma intenção de acabar com isso.

Agora, a burguesia não terá outra opção senão a de se unir com os pobres para pressionar o governo. O problema é que a burguesia nunca fez isso e pode levar décadas até que consigam aprender.

Pensar só em seus próprios interesses não vai adiantar, a burguesia vai ter de arregaçar as mangas para ajudar a educar e informar as pessoas.

Aqui temos um outro problema: Se o governo continuar com sua política populista, a burguesia poderá não atingir seu objetivo.

Se o povo sentir que sua vida melhorou, em relação ao governo anterior, então, os planos do governo terão êxito e o povo terá muita dificuldade para ver o que está acontecendo. As pessoas continuarão morrendo em filas de hospitais, nas estradas ou em ruas sem segurança.

A classe média se tornará cada vez mais decadente, assumindo uma postura mais marginalizada, ocupando postos que antes eram de criminosos, como o tráfico, prostituição de luxo, contrabando e organização de esquemas ilícitos. O socialismo finalmente terá conseguido o controle do Brasil.

By Jânio

Taxa selic cai para 8%

Novas regras da poupança

O rico mais pobre

Postar um comentário