terça-feira, 31 de maio de 2011

Heróis latino-americanos




A 24 de março de 1.816, os paises de La Plata, reunidos no congresso de Tucuman, redigem uma declaração de independência. e encarregam o general San Martin de preparar-lhes a defesa contra o Peru.

Convencido de que a melhor defesa é atacar o peru, passando pelo Chile, San Martin reúne em Mendonza um exército composto de indígenas, de desertores do Chile, entre os quais O'Higgins, de origem irlandesa, equipa-o com o concurso de mercadores ingleses, transpõe três gargantas dos Andes, entra no Chile, aí nomeia o'Higgins Diretor Supremo e desencadeia imediatamente uma guerra civil, entre liberais das grandes cidades e grandes proprietários rurais. Durante esse tempo, as outras províncias de La Plata dedicam-se também às suas guerras civis e os exércitos brasileiros invadem Banda Oriental (uruguai).

Também simultaneamente o espírito se reacende no Norte, em Nova Granada (Colômbia). Aqui entra, ou melhor, reentra, pois já se tinha metido em uma ou duas insurreições, Simon Bolívar. Herdeiro de uma imensa fortuna, senhor de escravos na Venezuela, é o espírito liberal que o lança contra a tradição familiar? É a paixão romântica, o culto do herói; dedicou a Napoleão uma admiração arrebatada que, por vezes, toca as raias do ódio.

Com a ajuda dos ingleses, os revolucionários de Nova Granada derrotam o o exército espanhol na batalha de Boyaca, e é constituída a Grande Colômbia; presidente: Bolivar.

Jean Duché
Postar um comentário