domingo, 3 de junho de 2012

Nova geração de internet preocupa o FBI



O FBI está preocupado com o lançamento da nova versão do protocolo de internet IPv6, previsto para 6 de junho  e como ele poderá afetar o desenvolvimento das investigações na rede, futuramente.

Os endereços de internet, protocolo ou endereços IP, são identificadores numéricos únicos, atribuídos a cada dispositivo conectado a rede mundial. O protocolo original, IPv4, foi desenvolvido no início dos anos oitenta do século vinte e foi baseada em um sistema de 32 bits, capaz de gerar mais de 4,2 bilhões de endereços IP.

O novo host, protocolo IPv6, hospedará uma quantidade de endereços IP praticamente inesgotáveis e irá de 32 para 128 bits, o que equivale a uma mudança de 2 elevado a 32 direções, para 2 elevado a 128 direções. Essas possibilidades iriam garantir a esperada expansão de internet de maneira que todo tipo de dispositivo poderá se conectar à Web.

Agora, quando o intervalo de endereços IP existente está acabando, é também considerado um método paliativo, usando o NAT ( Network Address Translation), dispositivos que permitem acesso à internet para vários computadores a partir de um único endereço IP, mas essa solução diminui o uso seguro da rede.

Esta deverá ser precisamente a maior preocupação do FBI, que terá que aplicar mais esforços para encontrar o autor de um crime cibernético alegado, só para citar um dos problemas,

O primeiro teste de transição para o protocolo IPv6 foi realizado em 8 de junho de 2.011 e durou 24 horas, envolvendo Google, Facebook, Yahoo e Bing. Na transição de 06 de junho deste ano, farão parte empresas como Windows, Google e Cisco, entre outras.

Provedores que participam deste processo começarão a transferir uma parte de seus clientes para o novo protocolo e fabricantes de roteadores instalarão o IPv6 como protocolo padrão de seus aparatos.

A transição também afetará a capacidade dos provedores de internet para responder imediatamente às exigências legais dos órgãos competentes sobre navegação na rede de um determinado cliente.

Espera-se que a transição completa de um protocolo para outro, que não sejam compatíveis, se realize em três anos. Assim o FBI terá tempo suficiente para encontrar uma solução para o problema.

Fonte: RT-TV

Comentários: A tecnologia mostra insistentemente a necessidade de uma educação aberta, livre de preconceitos. A medida que o tempo passa, torna-se quase impossível de se manter a hipocrisia e a informação juntas.

No Brasil, ser político já se tornou sinônimo de ser fora-da-lei há muito tempo. Qualquer pessoa que ameace, desafie o sistema, de maneira a expor informações que comprometam os grupos que controlam a sociedade, estará sujeita a ter o fim de muitos jornalistas que já foram mortos, só nesse ano já foram 8, nem membros dessas quadrilhas estarão  livres do perigo, como temos verificado em algumas queimas de arquivo.

O protocolo IPv6 me traz uma pergunta: O que aconteceu com a versão 05?

De qualquer forma, esse protocolo chega em cima da hora e mostra  como a tecnologia e a informação avançam rapidamente. O protocolo IPv6 tem como objetivo expandir os endereços de IPv4 que já estavam no limite e talvez isso responda a minha pergunta: Não foi necessário o IPv5, ou acharam que não.

O protocolo IPv4 já estava no limite e ameaçava um apocalipse digital no planeta - Quem poderia imaginar que o computador chegaria a um preço tão baixo?

Uma série de fatores levou os bilderbergers a subestimarem a força da tecnologia e, como diz o meu amigo Marivan: "Eles criaram a rede para dar mais segurança, mas segurança agora está em risco."

Eu diria até que o conceito segurança também está ultrapassado.

A queda dos ditadores, a mobilização e organização dos protestos no Oriente Médio e África, passaram pela internet. Esse foi apenas um exemplo da importância da informação e do avanço da tecnologia.

No momento em que todo o mundo passa a ter direito a informação, mudanças evitadas até agora começam a ocorrer, lembrando da importância de um elemento relativamente barato para a sociedade, e que fará muita falta, a educação.

A partir de agora, crianças serão mais independentes e terão acesso a verdades que antes eram proibidas, pessoas que não viam e nem ouviam, tomarão conhecimento de tudo.

Justamente quando a cúpula dos magnatas se preparavam para controlar a internet, eis que surge um novo problema. Para eles, naturalmente.

A internet já está desenvolvendo formas de controlar a qualidade do que aparece no topo das buscas, através do Google mais ou da reputação nos sistemas de anti-vírus. Eu já passei a utilizar HTTPS para navegar com mais segurança, justamente quando se começam a falar em DeepWeb.

A princípio eu me questionei: Para que buscar o que já foi deixado de lado?

Acontece que há muito conteúdo de qualidade que não está aparecendo, por isso o que há de melhor será apresentado, o que há de pior, continuará nas profundezas.

Está na hora de aprendermos a andar com as nossas próprias pernas e a navegar livres do controle mundial.

By Jânio
Postar um comentário