quarta-feira, 13 de abril de 2016

Partidos que são a favor e contra o impeachment



Os grandes partidos sabem que o PT não conseguirá protegê-los contra a PF e que inevitavelmente eles serão investigados, aliás, o PT não consegue proteger nem os seus próprios políticos. A Globo também sentiu na pele as investigações que vieram de fora do país e, pela primeira vez, balançou diante dos escândalos da FIFA, nem mesmo as empresas offshore e outras administradas por laranjas foram suficientes para evitar as investigações. Offshore são empresas fantasmas criadas em paraísos fiscais apenas para realizar uma operação específica, pagamento, sendo encerradas em seguida.

No caso dos grandes partidos, apenas o PMDB está com o pescoço na forca, Michel Temer e Eduardo Cunha. Ironicamente, o maior partido do país demonstra ser mais forte que a presidente, por isso, a presidente será julgada antes do presidente da câmara. 

Essa situação tem chamando a atenção da imprensa mundial, já que Cunha é o único que teve seus crimes confirmados e só poderá escapar da cadeia com o impeachment da presidente. Por conta disso, o PMDB também será o único grande partido que punirá os deputados que votarem contra o impeachment.

Mas o PMDB não é o único partido que tem a perder com o impeachment, muitos políticos são bons de história e muitos sofreram nas mãos da ditadura da Globo, por isso, mesmo com seus partidos a favor do impeachment, não seguem com sua bancada. 

Esse fato criou uma situação interessante, alguns partidos não irão punir seus deputados que votarem contra, isso poderá abrir caminho para novos acordos depois do julgamento do impeachment. Isso demonstra uma política de aparências, a liderança é a favor e alguns deputados são contra. Essa é uma bela maneira de driblar a mídia golpista, especificamente a Globo.

Aliás, a Globo conseguiu o que queria ao jogar o PT contra o PMDB, só com o Temer foram dois vazamentos: uma carta e agora um áudio. Já a ideia de jogar o PT contra o STF não deu tão certo assim, nem todos os juízes tem o rabo preso.

O PDT segue caminho inverso do PMDB de Sarney, querido pelos militares e dono da Rede Globo do Maranhão. O PDT de Brizola sofreu com a ditadura e com o golpe de 64, por isso, prefere esperar as próximas eleições para decidir o que fazer. Brizola foi o único político a humilhar a Globo ao forçá-la a provar de seu próprio veneno.

O PSOl tomou uma postura dura contra o golpe - eu não esperava, já que o PSOL sempre foi contra o PT.  Acho que eles não querem um golpe contra a democracia. Enquanto a Rede de Marina Silva deixa os deputados livres para decidir. 

O Senado já tem maioria pró-impeachment, seguindo a decisão da câmara dos deputados, entretanto, a decisão mais esperada será mesmo a votação aberta, transmitida pela Globo, onde os deputados decidirão se votam em prol dos beneficiados pelos projetos sociais do governo ou seguem seus financiadores de campanha que estarão acompanhando tudo pela TV.

Por decisão de Cunha, a votação começará pelo Sul, onde a oposição tem mais força. Naturalmente, a intensão de cunha é demonstrar sua força. A maior votação do PSDB foi no Paraná, onde ocorre o processo do lava a jato. Ironicamente, Moro foi o defensor da lavagem de 600 bilhões  do Banestado, considerado o maior roubo do mundo. No centro-oeste o governo também não deve estar muito bem, já que Delcídio é justamente do Mato-Grosso. Em seguida já vem para o Sudeste e decidem o processo. No Nordeste, maiores aliados do Governo, ficam para o final, assim como o Norte.

Enquanto a direita finge estar fazendo a justiça, um bandido chamado Eduardo Cunha continua decidindo o que deve ser feito, como e quando deve ser feito.

A parte jurídica vai sendo decidida pelos delatores corruptos, exceto pelo fato de que as denúncias feitas em relação a direita serão logo arquivadas.

Durante os impeachment de Collor, os deputados deixaram bem claro que não acreditavam que ocorreria, apesar de PC Farias deixar bem claro que todos os deputados haviam sido comprados e, portanto, a única chance de se livrarem da encrenca seria cassando Collor e matando PC Farias.

Dessa vez a Globo enfrenta a internet, por isso, sempre haverá uma divisão nas ruas. Além disso, nunca houve tantos políticos de esquerda eleitos, por isso, eles sabem muito bem as consequências de um golpe.

A única certeza é a de que muitos políticos serão expulsos de seus partidos e muitos sairão por vontade própria, principalmente do PMDB. Eu tenho certeza que o PMDB não suportará essa crise e deixará de ser o maior partido do Brasil. 

Vale lembrar a unanimidade do golpe: Maluf (São Paulo), Sarney (Maranhão), ACM (Bahia), Barbalho (Pará), todos se reencontrarão como em 64. A turma do Brizola e Lula estarão do outro lado.

Conseguir dois terços dos deputados não é fácil, nem mesmo com a Globo mostrando para os financiadores de campanha a votação ao vivo.  A disputa do parlamentarismo contra o presidencialismo será emocionante, principalmente pelo fato de Eduardo Cunha ter deixado bem claro que tem mais alguns pedidos de impeachment para analisar, aí, a direita mata o Cunha e coloca a culpa no PT.

Partidos que são a favor e contra o impeachment.

PSD A FAVOR
PV A FAVOR
PMDB A FAVOR
PSDB A FAVOR
PSB A FAVOR
DEM A FAVOR
PRB A FAVOR
PTB A FAVOR
PSC A FAVOR
PPS A FAVOR
PSL A FAVOR
PT CONTRA
PDT CONTRA
PCDOB CONTRA
PSOL CONTRA
PROS CONTRA
PTDOB CONTRA
PEN CONTRA
PP LIVRE
PTN CONTRA
PHS LIVRE
REDE LIVRE
PR CONTRA

Partidos que apoiaram o golpe de 64

Globo e PMDB -  tudo a ver

Entenda o rito do impeachment

Pronunciamento do presidente Michel Temer

Vencedor do pulitzer e o golpe no Brasil 

A política do PMDB

Globo vira vergonha internacional novamente




Postar um comentário