terça-feira, 5 de abril de 2016

Panamá papers - E os magnatas americanos?



Neste episódio de Keiser Report, Max e Stacy abordam o curioso caso da foto de Putin usada para manipular a notícia do 'Panama Papers', quando seu nome, aparentemente, nem sequer é mencionado nas 11 milhões de páginas de documentos. Na segunda parte, Max entrevista Joel Benjamin e Jamie Griffiths, Debt resistance UK,  falalando sobre LOBO, empréstimos que empurram os conselhos locais no Reino Unido à beira da insolvência.

"The Guardian reconhece que dos milhões de documentos que vazaram, o jornal só fez uma busca daqueles que violam as sanções impostas pelos EUA, que mostra como são", diz Stacy Herbert. "Em um mundo regido pelo livre mercado, a única coisa que importa é dizer ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos: "Estes descumpriram uma sanção comercial com o Irã, o Iraque ou o Sudão", acrescenta co-âncora.

De acordo com Herbert, o artigo argumenta que, se não há americanos na lista é "pelo acordo para a promoção do comércio alcançado entre o Panamá e os Estados Unidos em 2010". "Apesar de bom, os dados a partir deste escritório de advocacia também vão para os EUA, por isso, faz sentido querer fazer algo fraudulento pelo Panamá", diz ele.

São doze os líderes mundiais que têm algum tipo de conta vinculada ao escritório de advocacia no Panamá, "embora grande parte da evasão fiscal seja feito através dos Estados Unidos e, principalmente, Londres e Ilhas Virgens, território pertencente ao Reino Unido ", disse a apresentadora.

Herbert diz que, apesar da maioria das personalidades que aparecem na lista serem "aliados dos Estados Unidos", a mídia ocidental destaca a polêmica acompanhada de uma foto do presidente russo, Vladimir Putin, baseando suas acusações sobre fato de que alguns de seus amigos foram mencionadas nos documentos, mesmo que o nome do presidente não aparece uma única vez.

Fonte: RT-TV 

Comentário:

O que se vê no Panamá, está acontecendo no mundo inteiro. A direita controla as duas maiores armas da máfia dos donos do mundo, a mídia e os paraísos fiscais. Especialistas tem alertado para o fato de o mundo estar alcançando o o objetivo da pirâmide dos malditos, ou seja, só deve haver um no topo, apenas um rico controlando tudo.

Muitos são os candidatos para essa posto considerado satânico pelos mais sensíveis e, como não poderia deixar de ser, os países mais desgraçados tem mais chances de ter o herdeiro do mal absoluto.

Eu me assustei quando Slin apareceu no topo da lista dos homens mais ricos do mundo, entretanto, ele não parece assim tão preparado para governar o mundo, apesar de viver num país à beira do caos, o México. Eike Batista apareceu nessa lista, mas apenas com papeis supervalorizados. Aqui no Brasil nós sabemos que os mais perigosos vivem de caixa dois e que suas fortunas estão muito além das fronteiras tupiniquins. Isso me levou há um questionamento que se tornaria mais tarde uma teoria: Será que os demônios vivem no inferno?

Parte dessa pergunta tem sua resposta no Brasil, já que o nome Brasil deixa bem claro onde nós vivemos.Apesar disso, parece que os magnatas daqui são brindados contra a violências e problemas mais comuns, é como se eles fechassem os aeroportos quando viajam, ficando imunes a acidentes de avião que, aliás, ocorrem mais na Malásia, sempre deixando alguém muito rico com a morte de alguém importante.  Aqui no Brasil acontece muito isso com a Globo, uma empresa que surgiu com um único objetivo, monopolizar a informação e forjar verdades conspiratórias, mantendo-se acima do bem e do mal, o resultado podemos notar na Lava a Jato, um a operação comandada por um juiz de direita que é também advogado do mafioso Beto Richa e também ficou conhecido por livrar a cara de pessoas que fizeram a maior lavagem de dinheiro da história do país, através do Banestado, levaram mais de 600 bilhões para os paraísos fiscais e quebraram vários bancos brasileiros que foram privatizados em seguida. 

Como burguesia tem seus próprios interesses, prefere não lembrar da história obscura da Globo e preferem ver Moro como um santo. A suposta tentativa de justiça mostra claramente que isso não é justiça, é política. Eu queria me manter como um bom anarquista nessa história, mas não será possível, o problema não é a política, nem o mercado financeiro ou o Brasil, o problema sempre será a Globo. 

A Globo começa a despontar como a segunda maior empresa de comunicação do mundo, mas com um detalhe, a Globo não tem concorrência, vive da miséria de desgraçados do mundo inteiro, sendo uma grande candidata a dominar o mundo, Roberto Marinho morreu, mas continua governando o Brasil, enquanto isso, os mafiosos demoníacos do Brasil espalham  suas fortunas pelos paraísos fiscais e constroem mansões em Miami.

A esquerda não consegue roubar nem que insistam, a justiça prende corruptos do PT, mas não conseguem prender nenhum outro partido, muita gente tem notado isso e por mais que nossa memória seja custa, ainda não deu para esquecer PC Farias, Carlinhos Cachoeira, Durval Barbosa, José Roberto Arruda, Renan Calheiros, José Sarney. O problema agora é que a bagunça provocada pela mídia é tão grande que as pessoas não sabem qual acompanhar, assim, a Rede Globo escolhe o que nós devemos saber e prefere esquecer o escândalo da CBF, suas sonegações e empresas nos paraísos fiscais. A Rede Globo cria sua própria verdade e assusta redes de TVs do mundo inteiro.

By Jânio  

The Panamá Papers - O maior vazamento de dados da história

A história da Rede Globo

A TV está podre

Paraísos fiscais da máfia brasileira

Postar um comentário