segunda-feira, 14 de março de 2016

Doenças mais frequentes por profissão


Um estudo realizado pela American Heart Association (AHA) revela que as pessoas com mais de 45 anos, trabalhando no setor de vendas, secretariado ou no setor de serviços, têm mais fatores de risco para doenças cardíacas ou  acidente vascular cerebral do que as pessoas que trabalham em gestão ou nas chamadas  "profissões liberais" - conforme foi publicado pela associação em seu website.

A pesquisa analisou dados de 5.566 trabalhadores norte-americanos, homens e mulheres, que não tinham problemas cardíacos no início do estudo. Além disso, 88% destes trabalhadores não fumam e 78% têm bons níveis de açúcar no sangue, entretanto, menos de 41% tem uma excelente saúde cardiovascular.

Entre as causas que levam ao aumento do risco cardiovascular incluem: sedentarismo, má alimentação e falta de atividade física adequada. Estes são os problemas apontados por setor:

• Transporte: Quase um quarto (22%) são fumantes. Esta é a maior taxa de tabagismo entre todos os grupos da pesquisa.

• Vendas, secretariado e apoio administrativo: 68% tem hábitos alimentares pouco saudáveis. Além disso, 69% dos trabalhadores do setor de varejo não tem bons níveis de colesterol e 82% dos trabalhadores de escritório e apoio administrativo têm pontuações baixas em atividade física.

• Indústria alimentícia: Para este grupo de trabalhadores foram atribuídos os piores resultados quanto à qualidade da dieta, com mais de três quartos (79%) apresentando hábitos alimentares péssimos.

• Os serviços de segurança: 90% dos policiais e bombeiros são suscetíveis de ter excesso de peso ou de serem obesos, com 77% com o colesterol alto e 35% com pressão arterial elevada.

• Gestão e profissões liberais: trabalhadores destes sectores têm mais saúde cardiovascular do que as outras categorias. Um terço deles tem um peso ideal, 75%, ou fazem exercícios frequentemente, a taxa de fumantes é muito baixa (6%). No entanto, 72% deles têm maus hábitos alimentares.

RT-TV

Profissões do futuro

Empresas americanas que mais contratam



Postar um comentário