quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Russia condena teste nuclear na Coreia do Norte


Se for confirmado que a Coréia do Norte testou uma bomba de hidrogênio, isso seria uma grave violação do direito internacional, disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.
"Tais ações podem agravar a situação na península coreana, que já se caracteriza por um elevado potencial para o confronto político-militar", diz a chefe do departamento do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zajárova, , em um comunicado para a imprensa.
Quarta-feira a Coreia do Norte confirmou em um comunicado de imprensa que havia feito com sucesso seu primeiro teste com uma bomba de hidrogênio em um polígono no norte.
O teste foi "feito com tecnologia nacional", declararam as autoridades. Sua explosão "não é prejudicial ao meio ambiente" e corresponde à "direção estratégica do Partido dos Trabalhadores da Coreia '.   Como consequência do teste, Pyongyang disse que o país tem agora "forças de dissuação nuclear mais poderosas".
Os norte-coreanos disseram ter testado uma versão em "miniatura" da bomba de hidrogênio à sua disposição e, ao mesmo tempo, insistiram que eles são uma "potência nuclear responsável" e  que só iriam usar armas de destruição (WMD), se sua soberania vier a ser ameaçada  iminentemente. Além disso, Pyongyang disse que "não está disposto a transferir a sua tecnologia nuclear a terceiros."
Reações do mundo
Depois do anúncio da Coréia do Norte, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, classificou o teste nuclear como "inaceitável" e "sério desafio às resoluções do Conselho de Segurança da ONU. A "Coréia do Norte "é uma grande ameaça", disse o mandatário.
A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, decidiu convocar uma reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional. Ela alertou que Pyongyang vai "pagar" pela realização do teste nuclear.
O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Presidência dos Estados Unidos, Ned Price, não pôde confirmar se a bomba de hidrogênio  realmente fora explodido. No entanto,  disse que o seu país "condena todas as violações das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e exorta a Coreia do Norte a cumprir as suas obrigações internacionais."
Na China,  foi evacuado a população de alguns municípios situados ao longo da fronteira com a Coreia do Norte que sentiram os tremores causados ​​pela explosão.
O centro de meteorologia na cidade russa de Vladivostok, a grande aglomeração estrangeiro mais próxima do foco do teste, relataram não ter havido nenhuma mudança na radiação ionizante na região.
O Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução com uma série de medidas contra a Coreia do Norte após seu teste nuclear.
Outros textos sobre a Coréia:

Postar um comentário