sábado, 26 de setembro de 2015

Sete forças armadas mais poderosas da América Latina



Embora os países latino-americanos não  estejam entre as maiores potências militares do mundo, a região segue a tendência mundial e continua  fortalecendo suas forças armadas. Saiba quais países latino-americanos têm  os mais poderosos exércitos.

 Global  Firepower Index (índice global de poder de fogo) é uma lista das principais potências mundiais com base em 50 fatores, incluindo  indústria e geográfica, bem como a quantidade e a qualidade de mão de obra militar. Por outro lado, os especialistas  penalizam com alguns pontos, países com acesso ao mar, mas que  têm pouco poder naval ou carecem de uma boa armada, entre outros exemplos.
A lista é encabeçada pelos EUA,  Rússia e China, e as primeiras 20 posições são ocupadas principalmente por potências europeias e asiáticas (sendo a Espanha o número 38 no 'ranking'). Com relação aos países latino-americanos, a posição mais alta é do Brasil (22), enquanto que outros Estados da região estão abaixo do número 30 na lista.

Brasil

Colocação no ranking geral: 22

Nas últimas décadas, o Brasil tornou-se a maior potência militar na América Latina. Junto com o crescimento econômico, o país tem  influência não só na região, mas também a nível mundial.
Membros ativos: 327.000 pessoas. Reserva: 1.800.000 pessoas.
Veículos blindados de combate: 1.707. Aeronaves: 749, além de 113 navios.
Orçamento: 34.7 bilhões de euros.

México

Colocação no ranking geral: 31
Em segundo lugar na América Latina está o México. Além de suas funções dentro do país, incluindo a luta contra o narcotráfico, as Forças Armadas deste país latino-americano participam em operações de paz da ONU.
Membros ativos: 267.500 pessoas. Reserva: 76.500 pessoas.
Viaturas blindadas de combate: 695. aeronave: 362, Navios 143.
Orçamento militar: 7.0 bilhões.

Chile

Colocação no ranking geral: 43
O terceiro poder militar na região, Chile, reforça ativamente o seu arsenal de armas. Assim, o governo destina uma percentagem significativa do seu orçamento militar para comprar armas no exterior.
Membros ativos: 60,560 pessoas. Reserva: 82.000 pessoas. 
Veículos blindados de combate: 2.346. Aeronaves: 236, alem de Navios, 69.
Os gastos militares: 5.4 bilhões de dólares.

Argentina

Colocação no ranking geral: 47
O quarto país da lista, Argentina, também moderniza suas forças armadas. Para citar um exemplo, Buenos Aires negocia com o Brasil a aquisição de 24 caças polivalentes da Gripen NG, da empresa sueca SAAB.
Membros ativos: 73.100 pessoas. Reserva: 31.240 pessoas.
Veículos blindados de combate: 828. Aeronaves: 275, além de navios: 41.
Orçamento militar: 4,3 bilhões.

Peru

Colocação no ranking geral: 51
A República do Peru está em quinto lugar nas forças armadas mais poderosas da América Latina. O exército do país tem mais de 100.000 militares e armamento vindo dos EUA, Rússia, China e outros países.
Membros ativos: 120,660 pessoas. Reserva: 272.000 pessoas.
Viaturas blindadas de combate: 890. aeronave: 239, além dos Navios, 60.
orçamento militar: 2.5 bilhões.

Colômbia

Colocação no ranking geral: 52
O conflito com os rebeldes da FARC (apesar de as partes já terem chegado a um acordo) e a luta contra a droga e o crime são as razões por que a Colômbia tem o maior número de militares na ativa (e alguns na reserva) entre todas as forças armadas da América Latina e ainda tem  um dos maiores orçamentos militares da América Latina.
Membros ativos: 444,520 pessoas. Reserva: 62.000 pessoas.

Veículos blindados de combate: 1.345. Aeronaves: 493, além de Navios: 232.
Orçamento militar: 12.1 bilhões de dólares.

Venezuela

Colocação no ranking geral: 62
Venezuela, que está em sétimo lugar, de acordo com índice global de potência de fogo , tem estreitas relações militares com a Rússia e frequentemente renova seu arsenal de armas, principalmente, por meio de compras no exterior.
Membros ativos: 113,560 pessoas. Reserva: 438.000 pessoas.
Viaturas blindadas de combate: 700 aeronaves: 229, além de Navios: 250.
Orçamento militar 4.0 bilhões de dólares.
Fonte: RT-TV




Postar um comentário