quarta-feira, 16 de julho de 2014

Teorias da conspiração que matam




Embora as pessoas sensatas não levem a sério as teorias da conspiração, elas realmente têm um impacto significativo de forma negativa sobre o nosso mundo. De que forma o estão destruindo?

01 - Quanto mais acesso as pessoas tem a informação, pior uso fazem dela

Surpreendentemente, nos últimos 50 anos, época em que o conhecimento humano se tornou instantaneamente acessível a todos, em qualquer momento, a porcentagem de pessoas que acreditam em teorias da conspiração tem aumentado, relata o site Cracked. Por exemplo, se na década de 60 52% acreditavam que havia algum tipo de conspiração por trás do assassinato de John F. Kennedy, agora o número é de 61%.

O método específico dos adeptos da conspiração está em buscar por  todos os dados disponíveis até encontrar algo que confirme sua crença, ignorando todas as outras evidências. E as pessoas tendem a ouvir a minoria, em vez de opiniões da maioria, embora faltem evidências confiáveis.

02 Pessoas morrem

Em 1998, a revista médica "The Lancet" publicou um estudo que mostrava uma possível ligação entre a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e o autismo, o que provocou pânico em todo o mundo. E, apesar de o artigo ter sido desacreditado quase de imediato, considerado uma fraude, alguns viram como uma forma  de se retratar de algo oculto, o que levou a uma teoria da conspiração sobre as empresas farmacêuticas tentando matar as pessoas com as vacinas.

Devido a isso, muitos pais optaram por não vacinar seus filhos contra as doenças. Como resultado, nos últimos anos, tem havido um maior número de doenças, tais como a tosse convulsa e sarampo: Os EUA, em 2012, sofreu seu pior surto de coqueluche em 70 anos. E o estado de Washington, onde receberam as maiores taxas de pais que se recusaram a vacinação, foi o mais afetado pela doença.

03 - É uma indústria com fins lucrativos

Os seguidores da conspiração não percebem que são vítimas de uma enorme indústria que tem um grande fluxo de receita. "É um mercado em crescimento, com muita concorrência", afirma o site Cracked. Há toda uma indústria que se sustenta nas conspirações, e, portanto, precisa criar conspirações para sobreviver.

Por exemplo, pode-se enriquecer vendendo kits de alimentos de emergência para o iminente colapso da sociedade. Tiram proveito também os vendedores de ouro porque é o que vai ser usado, uma vez que os governos entrem em colapso, de acordo com as teorias da conspiração. Os autores das conspirações também acumulam milhões de dólares vendendo seus livros e ingressos para suas conferências.

04 - Exploram o pior das pessoas

As teorias da conspiração tornam miseráveis as pessoas, segundo o relatório. Assim, alguns estudos mostram que as pessoas que acreditam nelas tendem a ser muito mais cínicas sobre a vida, sentem-se mais impotentes e carecem de auto-estima.

05 - Impossibilitam que os problemas reais sejam solucionados

As teorias da conspiração acabam sendo um movimento enganoso onde a versão fictícia do problema absorve toda a energia que realmente poderia ser usada para melhorar as coisas. Por exemplo, as pessoas que acreditam que o aquecimento global é uma conspiração estão menos interessadas em tomar medidas para proteger o meio ambiente.

Outro exemplo seria a ciência, no caso mencionado acima, em vez de injetar dinheiro no inquérito sobre a alegada ligação entre a vacina MMR e o autismo, esse dinheiro poderia ter sido usado para pesquisa da cura do câncer ou desenvolvimento de melhores vacinas.

Fonte: RT-TV

Teorias da conspiração comprovadas

Piores experimentos americanos com humanos

Marilyn Monroe e a teoria da conspiração

O tabu das organizações secretas

Sociedade mão negra

T4 - Projeto nazista da morte

Top 10 sociedades secretas

Postar um comentário