quinta-feira, 10 de julho de 2014

Mafioso do Banco Econômico é condenado




Tribunal Federal condenou o ex-dono do Banco Econômico, Ângelo Calmon de Sá, e o ex-vice presidente do Banco, José Roberto de Azevedo. Calmon de Sá foi condenado a sete anos, em regime semi-aberto, enquanto seu vice recebeu a pena de oito anos. Os condenados ainda podem recorrer da sentença.

De acordo com o Ministério Público, o Banco Econômico efetuou empréstimos fraudulentos e remessas ilegais para o exterior, o rombo nos cofres públicos chega a 98 bilhões de reais.

O Banco Econômico recebia dinheiro do Program de Estímulo à Reestruturação e ao fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (PROER)  criado por FHC. O Banco sofreu intervenção em 1.995 e entrou em liquidação judicial no ano seguinte.

Segundo apurado pelas investigações, o banco controlava uma outra instituição no exterior, os empréstimos fraudulentos tinham como destinatário o próprio Calmon de Sá. As operações causaram a falência do banco, causando prejuízo à milhares de clientes.

O banqueiro se livrou de outras penas por ter mais de setenta anos e dificilmente ficará preso por muito tempo, já que poderia morrer de velhice enquanto cumpre a pena.

Recuperar tanto dinheiro é uma tarefa quase impossível, mas foi assim que as riquezas do Brasil foram roubadas durante quinhentos anos, na maioria das vezes por velhos criminosos como Maluf, Sílvio Santos. Roberto Marinho sempre foi beneficiado pelo sistema e a Rede Globo foi criada com financiamento público e controlada por empresas multinacionais, com o objetivo de monopolizar a informação (Roberto Marinho já morreu, mas a família aprendeu muito bem com negociar com empresas como a FIFA, que sabe que por trás das transmissões, há muitas negociatas que rendem milhões).

Prender banqueiro não é fácil, veja como esse banqueiro corrupto vem sendo preso ao longo dos anos:

"Ângelo Calmon de Sá é um ex-banqueiro brasileiro. Foi ministro da Indústria e Comércio durante o governo de Ernesto Geisel. Ficou conhecido quando o Banco Econômico sofreu intervenção no ano de 1995.

Condenação

Ângelo foi condenado a treze anos e quatro meses de prisão em regime fechado pela Justiça Federal no dia 3 de outubro de 2007, mais de doze anos após a intervenção, por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. O ex-vice-presidente José Roberto David de Azevedo também foi condenado e recebeu uma pena de seis anos, também em regime fechado.

Na sentença, o juiz considerou Ângelo o principal estrategista das irregularidades. "Promotor e mandante dos fatos da denúncia, além de destinatário dos recursos ilicitamente captados no exterior e desviados para o banco, em última análise, em seu próprio benefício", disse o juiz.

Porém em entrevista com Mário Kertéz no dia 10/04/08, completando sua terceira etapa da entrevista. Afirmou não ter passado de uma perseguição politica, além de ser uma ação violenta do Banco Central, deixando assim cinco milhões de clientes, do Banco Econômico, durante nove meses sem saber do paradeiro do dinheiro, acusando Ângelo Calmon de Sá de o ter desviado. Inclusive a Rede Globo que tinha sua conta principal no Banco Econômico, junto com o seu elenco".

Fonte: Wikipedia

Policial que prendeu Carlinhos cachoeira é assassinado

Marcos Valério é preso novamente

Lista de envolvidos na máfia do asfalto

Postar um comentário