terça-feira, 18 de março de 2014

Lavagem de dinheiro de dez bilhões



Quatrocentos policiais federais deram cumprimento a 81 mandatos de busca e apreensão na operação Lava Jato, operação que teve esse nome porque envolvia lavanderias e postos de combustíveis para movimentar o dinheiro. Além disso, 24 mandatos de prisão foram emitidos para seis estados e Distrito Federal até o meio-dia desta segunda Feira.

O operação ocorreu simultaneamente em cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Distrito Federal.

A organização criminosa envolve tráfico internacional de drogas, câmbio clandestino e contrabando de pedras preciosas, além de desvio de recursos públicos, entre outros crimes.

A organização também envolve grandes empresários, como o dono de um dos maiores postos de combustível de Brasília, jornalista e engenheiro de Porto Alegre e valores que podem ultrapassar 10 bilhões de reais.

Comentário: Não é à toa que a Europa decidiu contabilizar e legalizar as drogas e a prostituição, como forma de salvar a economia mundial. Se fossem somados todos os valores ilegais do mundo, a economia poderia triplicar, isso falando por baixo e sem contar os subfaturamentos de obras de arte, jóias etc.

O presidente do Uruguai justificou a legalização da maconha como uma forma de enfraquecer o tráfico. Está tática já foi utilizada para enfraquecer a indústria de bebidas alcoólicas, indústria tabagista, etc., no passado de outros países, mas isso nunca acaba.

Enquanto isso, empresa gaúcha que distribuía leite líder no Paraná, e também leite Parmalat, comercializou pelo menos 300.000 litros de leite com soda cáustica. O produto químico era utilizado para burlar a quantidade de água que era acrescentada no leite para baratear o produto.

O resultado disso é que os produtores não conseguem competir com as grandes empresas e desistem da atividade.

Comentário: Dificilmente a polícia federal vai conseguir segurar esses criminosos na cadeia por muito tempo e, mesmo que conseguisse, as pessoas afetadas nunca serão indenizadas.

Só há uma maneira de conseguir alimentação saudável nesse mundo, plantando o próprio alimento. O problema é que a cultura de subsistência deixa a pessoa sem recursos e vulnerável em caso de doença ou riscos no negócio.

É preciso educação, mas sem justiça não há educação que resolva, e justiça é elemento raro no Brasil.

Se prendermos todos os bandidos do país, teremos de fechar o Brasil, mas como os bandidos são covardes, basta prender os mais importantes para resolver a maior parte dos problemas.

Fonte: Ana Cristina Campos para Agência Brasil

Comentário: By Jânio

Paraísos fiscais da máfia brasileira

Julgamento do mensalão

Carlinhos Cachoeira é útil para as empreiteiras

Políticos com problemas na justiça

Postar um comentário