domingo, 2 de fevereiro de 2014

Três banqueiros cometem suicídio em uma semana




Terceiro banqueiro comete suicídio em uma semana, o que aumentou o receio daqueles que já pensam em uma nova crise financeira no horizonte.

Mike Dueker, o principal economista da empresa Russell Investments, voltada à gestão de ativos, foi encontrado sem vida perto de uma estrada em Tacoma Narrows, em Washington. Dueker caiu de uma ponte de 15 metros, de acordo com a polícia que está tratando o caso como suicídio. Seus amigos notaram seu desaparecimento em 29 de janeiro, disseram que ele tinha problemas no trabalho.

O suposto suicídio de Dueker segue outros dois que ocorreram nesta mesma semana. Gabriel Magee, um dos executivos da JP Morgan em Londres, que caiu do topo do edifício, sede do banco, em que ele trabalhava há dez anos, e William Bill Broeksmit, ex alto funcionário do Deuche Bank, 58 anos de idade, que se aposentaria na última sexta, e que dois dias antes foi encontrado enforcado em sua casa em Londres.

A estas mortes soma-se ainda a do diretor de comunicação  da Swiss Re AG, que foi encontrado sem vida em seu apartamento em Londres, se bem que as causas de sua morte ainda são desconhecidas.

Suicídios só tendem a aumentar em meio a grandes colapsos no mercado de valores, o que não corresponde à situação atual, uma vez que o índice Dow Jones atingiu um recorde de alta no mês passado, apesar de, nos últimos dias, algumas empresas terem sofrido grandes perdas. Paralelamente aos boatos, surgem especulações que vinculam  estes suicídios com outra potencial crise financeira que estaria se formando no horizonte.

Fonte: RT-TV

Comentários:

Eu vou dizer o que eu acho dessa bagunça toda: Acontece que para se manter o poder, desenvolveu-se sistemas complexos de política e economia. A Inglaterra lidera a Grã-Bretanha, que ainda tem a Escócia e o País de Gales; a Grã-Bretanha junta-se a Irlanda, país um pouco mais independente, para formar o Reino Unido. Ainda há paraísos fiscais como as Ilhas de Jersey que são independentes para lavar o dinheiro dos ricos.

Fora da Grã-Bretanha, há países como a Austrália e Canadá, sob o governo da Rainha Elizabeth, independentes, que são neutras quanto ao poder, blindadas das crises e conflitos internacionais, além de serem protegidas pelo império, ideal para os britânicos ricos empreenderem. Dessa maneira, por mais que o povo inglês morra de forme, sempre haverá uma saída para os ricos e  para o sucateamento do estado inglês.

Se você não entendeu nada, eu muito menos. Deve ser por isso que esses banqueiros estão cometendo suicídio, ou talvez não, já que tudo é um mistério.

Os EUA também tem os seus paraísos fiscais e, apesar de não serem tão complicados como o império britânico, também tem esses suicídios estranhos, são bem diferentes das prostitutas banqueiras brasileiras que nunca conheceram a justiça e que, portanto, não tem porque se suicidar.

By Jânio

Maiores reservas de ouro

O fim do império americano

Donos da dívida americana

Rothschilds vão  investir ouro na China

Postar um comentário