domingo, 1 de setembro de 2013

Brasileiro será diretor da OMC




O Brasileiro Roberto Azevedo substitui Pascal Lamy no controle da Organização Mundial do Comércio (OMC). O mandato do francês expirou no sábado, 31 de Agosto. É a primeira vez na história da OMC que um representante da América Latina assume a direção geral da agência.

Azevedo, de 55 anos, desde 2.008 era o representante permanente do Brasil junto a OMC e outras organizações econômicas internacionais em Genebra. Antes disso, trabalhou 25 anos no serviço diplomático no Brasil, entre outros locais no escritório de Genebra.

Comentário: Se a questão da ONU for complicar, criar burocracia e atrasar os processos, sem resolver nada, devem sempre escolher brasileiros para tais cargos.

A OMC deveria ser o órgão regulador de conflitos comerciais internacionais mas, como os EUA tem a maior quantidade de membros da ONU, controla a maioria de suas atividades.

Por outro lado, alguns países emergentes, como Brasil e China, tem adquirido prestígio através de suas reservas internacionais, além das ditaduras econômicas.

A ONU não tem o poder de decisão de instituições como a OTAN, Clube de Bilderberg ou Serviços secretos. Aliás, todo o poder que governa o mundo é secreto.

Os EUA tem tentado transformar o Brasil em exemplo capitalista para o mundo, é o único país entre os emergentes que obedece cegamente sua cartilha. Entretanto, a corrupção transformou os políticos numa quadrilha de bandidos, transformando o governo brasileiro num exemplo de incompetência, transformando a confiança e esperança americana em um investimento de risco.

O Brasil é uma grande incógnita. Hugo Chaves gostava de brincar com a pseudo-ideologia política brasileira, expondo o país ao ridículo. Edward Snowden foi um teste para saber qual era o verdadeiro lado do Brasil e, como era esperado, fomos reprovados.

Até a China desistiu de investir no país e, acreditem, os planos chineses eram promissores. Acontece que a China possui a melhor logística do mundo e seus planos era criar uma rede ferroviária para as exportações brasileiras, todo o plano foi por água abaixo.

É isso mesmo, criaram até um famoso projeto de tubulação para transportar a soja. Naturalmente, não é possível transportar minério dessa forma, pelo menos é o que eu acho.

Mas o que o Brasil continuará sonhando é com a tal cadeira no conselho de segurança, um prestígio que já não serve para nada, mas que funciona bem melhor que um escudo anti-mísseis.

Personalidade ideológica seria melhor mas, em se tratando de Brasil, já é pedir demais.

Fonte: RT-TV

Comentário: By Jânio

Israel violou 65 resoluções da ONU

Países mais influentes da ONU

Brasileiro é eleito diretor da ONU

A ONU é racista


Postar um comentário