segunda-feira, 13 de maio de 2013

Metade dos chineses violentam mulheres




Metade dos homens na China admite maltrata fisicamente ou sexualmente uma mulher.  Um em cada cinco homens confessa que raptou uma mulher. Um em cada 25 afirmaram ter participado de um estupro em grupo.

Estes são os dados mostrados por um estudo coordenado pela ONU por ocasião de um simpósio de pesquisa sobre a violência contra a mulher, realizada em Pequim.  O programa "Casais Pela Prevenção" das Nações Unidas realizou uma pesquisa entre 2.000 homens. De acordo com os autores do relatório, entre os voluntários pesquisados na China, 90%  eram casados ou divorciados. A pesquisa é parte de um  estudo de comparação entre os seis países  da região da Ásia-Pacífico, cujos resultados  serão publicados em julho.

Os resultados obtidos pelos especialistas da ONU coincidem com outra pesquisa divulgada por um grupo sociólogos chineses, com a participação de especialistas da Universidade de Tianjin. Foi realizado entre 1.000 homens e 1.100 mulheres. Mais de 50% das mulheres entrevistadas disseram ter sofrido abusos. De acordo com os números do levantamento, as mulheres chinesas enfrentam mais risco de serem estupradas por seus parceiros do que por outras pessoas: três em cada cinco entrevistadas que haviam sido estupradas confessaram que havia sido nas mãos de seus parceiros. Entre aquelas que sofreram violência física, 40% tinham lesões.

Os autores deste segundo estudo argumentaram que uma das razões para o comportamento violento por parte dos homens chineses está relacionada a defesa de sua masculinidade. A maioria dos entrevistados eram a favor da igualdade de sexo, mas 50% dos homens e 25% das mulheres apoiou o uso da violência masculina para defender a dua reputação. A pesquisa foi realizada em 2.011 em um distrito no sul do país, cujo nome não foi revelado para proteger a confidencialidade dos participantes.

Fonte: RT-TV

Violência doméstica

Problemas sociais

Menino atira em professora

Postar um comentário