segunda-feira, 8 de abril de 2013

Venda milionária de falsos seguidores no Twitter




O mercado de venda de falsos seguidores no Twitter, que em muitos casos são quase impossíveis de se distinguir dos reais, está cada vez mais popular e sofisticado. Os vendedores afirmam que podem ganhar até um milhão de dólares em uma semana.

Depois de passar vários meses estudando este negócio clandestino da rede de microblogging, Andrea Stroppa e Carlo de Micheli, pesquisadores italianos de segurança, informaram que haviam encontrado um mercado próspero, com cerca de 20 milhões de contas falsas.

Atualmente, estima-se que haja mais de duas dezenas de serviços que vendem seguidores no Twitter, geralmente em lotes de mil a um milhão de contas.

De acordo com um recente estudo realizado pela Barracuda Labs, o preço médio de 1.000 seguidores falsos é de 18  dólares, enquanto os pesquisadores italianos asseguram que alguns serviços vendem uma única conta por até 30 dólares.

As contas falsas são vendidas frequentemente para vários compradores, já que os próprios clientes preferem que as contas sejam vendidas para outros, para torná-las mais parecidas com as reais.  Ferramentas do Twitter tratam de identificar falsos seguidores, examinando o nível de atividade de uma determinada conta: quanto mais pessoas seguirem os mais ativos, mais autênticas essas contas são.

"Atualmente, há um software que permite criar contas falsas, tendo em conta todos os detalhes, por isso algumas contas fakes parecem melhores que as reais, destacou De Micheli, citado pelo jornal "The New York Times".

Há seguidores que publicam fotografias de perfis e biografias completas. No entanto, na maioria dos casos, um olhar mais atento revela que estas contas foram criadas exclusivamente para certos sites.

"Os serviços não só oferecem falsos seguidores, como começaram  também a vender retweets", indicam no relatório Stroppa e Micheli, acrescentando que os preços, variam entre 5 retweets diários a 9 dólares mensais,  até 125 retweets diários por 150 dólares.

Stroppa e Micheli  observam que, embora a Facebook exija  que seus usuários utilizem um email em cada conta, o Twitter tem conceitos de segurança diferentes, aplicam um sistema de "captchas" (teste de Turing, público e automático para diferenciar computadores e humanos). No entanto, alguns programadores  enfatizam que até uma criança poderia contornar os sistemas de defesa do Twitter.

Fonte: RT-TV

Postar um comentário