quarta-feira, 10 de abril de 2013

PlusD - Biblioteca online de Julian Assange




Wikileaks lança biblioteca online com documentos secretos liberados pelos governos de vários países. O novo projeto de Julian Assange tem parcerias com Agências de notícias AP e AFP e os jornais La Republica (Itália), La Jornada (México), Página 12 (Argentina) e a Agência Pública (Brasil).

Julian Assange tornou-se uma personalidade polêmica, suspeito inclusive de ser um bode expiatório da CIA para expor notícias maquiadas, ou selecionadas, de acordo com seus interesses. Se é verdade ou não, o fato é que ele se encaixou perfeitamente no perfil de Osama Bin Laden, um ex-aliado da CIA que se tornou o mais procurado pelo FBI.

Como o FBI é uma polícia federal americana, isso fica meio confuso, vocês não acham? Ou será que Osama Bin Laden iria se esconder justamente dentro dos EUA?

Também não podemos nos esquecer do Chacal que supostamente trabalhava para os dois lados.

De concreto, o que sabemos é que Julian Assange está preso, exilado dentro da embaixada do Equador em Londres, e, não, não é um dos mais procurados pelo FBI, apesar de algumas autoridades revelarem publicamente o desejo de eliminá-lo. Eu diria que Assange tem um perfil ligado mais a política, apesar de se revelar uma personalidade obscura.

Ao contrário de políticos como Hugo Chávez, Assange é difícil de ser classificado e nem os seus objetivos são muito claros. Já teve problemas com o seu parceiro do Wikileaks, e com alguns de seus parceiros da corporativos.

Daniel Estulin observou muito bem o seu antigo perfil, quando era aliado de grandes corporações de direita, mas com postura aparentemente de esquerda, revelando informações secretas.

O seu novo perfil parece bem mais distante da direita, mais próximo da esquerda, mas ainda  continua obscura e discutível a sua filosofia de liberação de documentos oficiais secretos. Estulin dizia que o objetivo era provocar a censura de internet, além de maquiar informações que de fato seriam mais sérias, além de selecionar as notícias que interessariam ao Clube de Bilderberg.

Parece que ele combina muito bem a sua criatividade com a habilidade de programador, mas a usabilidade do PlusD deixa a desejar. Parece que o site é voltado para um público elitizado que irá espalhar as informações prontas.

O Brasil virou destaque nessa nova fase, e o alvo, naturalmente, será o governo militar e as sua relações com os EUA, mas, como não poderia deixar de ser, não há uma só linha sobre a Globo, já que os financiadores da Globo também são parceiros da Wilileaks.

Esse seu novo projeto, PlusD, Assange parece mais moderado e a procura de apoio para o futuro, divulgando apenas documentos públicos.

O seu asilo na embaixada do Equador mostra como ele conhece a política internacional e a força dos latinos na resistência ao poder globalizado.

By Jânio

PlusD

Prisão de Julian Assange não calará a internet

O lado obscuro da Wikileaks

Os mais procurados pelo FBI

Postar um comentário