sábado, 27 de abril de 2013

Governo quer subordinar o STF ao Congresso




A briga entre o Congresso e o STF está dando o que falar, o STF reclama que o governo quer subordinar o STF ao Congresso e o STF faz questão de lembrar da inconstitucionalidade da questão.

Gilmar Mendes disse que seria melhor fechar o STF que subordiná--lo ao Congresso, Joaquim Barbosa se empolgou e disse que a PEC feria a democracia.

Eu gostaria de contrariar o prezado presidente do STF e dizer que essa medida poderia até ser inconstitucional, sim, mas anti-democrática, nunca.

Há perguntas que tem de ser feitas, por exemplo: Quem elegeu o STF? Isso é democracia?

O STF sempre foi o bode expiatório do governo, o testa de ferro. O governo elege aqueles que são mais corporativos, ou tiram 10 em todos os concursos, não é mesmo presidente Dilma?

Fechar o congresso, Gilmar Mendes? nem pensar. A esquerda pode ser corrupta, como a direita, mas não é burra, também não tem medo de deixar a polícia federal trabalhar, portanto, eles devem saber o que estão fazendo, ou supõe que sim.

Fechar o Congresso seria convidar a polícia federal e as forças armadas para governar o país, afinal de contas, seria como um golpe contra a justiça, mesmo que o STF não seja democrático como Joaquim Barbosa pensou, mas o PT pensou muito bem.

Ser subordinado ao Congresso, pode pode não ser bom para os ministros do STF, mas para o povo pouco importa. O povo sabe que quando algum corrupto estiver com a corda no pescoço no Congresso, o poder voltará para o STF. Esse jogo é só para quem tem o estômago forte.

A única coisa que aconteceu, foi que o STF foi punido pelos seus patrões, por não tê-los ajudado nos recentes escândalos. A ideia de proteção para os ministros, por parte das forças armadas, desagradou ainda mais o governo.

Passar o poder do Supremo para o Congresso é democrático e protege o governo, protege muito.

É por isso que não se deve brincar com governos populares.

By Jânio

Corporativismo midiático

STF e o jogo do poder

A pirâmide dos malditos

Postar um comentário