terça-feira, 5 de março de 2013

Morre Hugo Chávez aos 58 anos




Hugo Rafael Chávez Frias, 28 de julho de 1954 - 05 de março de 2.013, foi presidente da Venezuela, cargo que ocupou de 1.999 até a sua morte em 2.013.

Hugo Chávez, Chávez por parte de pai, foi líder do partido "Movimento Quinta República", desde sua fundação em 1.997 até 2.007, quando se tornou líder do Partido Socialistas Unidos da Venezuela (PSUV).

Depois de criar sua própria ideologia política do bolivarismo e "socialismo do século XXI", concentrou-se em implementar reformas socialistas em seu país país, como parte de um projeto social conhecido como Revolução Bolivariana, tendo em vista a implementação de uma nova Constituição, com conselhos participativos e democráticos, nacionalização de indústrias de interesse nacional, financiamento da saúde e educação, redução da pobreza (segundo fontes do governo).

Nasceu em uma família de classe operária em Sabaneta, Barinas, tornou-se um oficial militar de carreira e, depois de ficar insatisfeito com o sistema político venezuelano, fundou o Movimento Revolucionário Bolivariano-200 (MBR-200), no início da década de 80, com a intenção de derrubar o sistema. Liderou o MBR-200 em um mal sucedido golpe de estado contra o partido "Ação Democrática" do governo de Carlos Andrés Pérez, em 1.992, quando foi preso.

Depois de dois anos preso, foi solto e fundou o partido Social-Democrata "Movimento Quinta República", sendo eleito presidente da Venezuela em 1.998.

Depois de eleito, introduziu uma nova constituição que aumentou os direitos de grupos marginalizados. Alterou a estrutura do governo venezuelano e foi reeleito em 2.000.

Durante o segundo mandato presidencial, introduziu o sistema de missões bolivarianas, conselhos comunitários e trabalhos gerenciados em cooperativas, bem como um programa de reforma agrária, enquanto nacionalizava várias empresas de interesse nacional.

Em 07 de outubro de 2.012, Chávez vence as eleições de seu país pela quarta vez, ao derrotar Capriles Henrique, para mais um mandato de seis anos.

Depois de um tratamento para remover células cancerígenas, Chávez morreu no dia 05 de março de 2.013, aos 58 anos.

Hugo Chavez nasceu na casa da avó paterna, na modesta vila rural de Sabanetas, estado de Barinas. Chávez é de origem ameríndia, afro-venezuelano e ascendência espanhola. filho de  Hugo de los Reyes Chávez e Elena Frias de Chávez, professores de uma pequena aldeia, Los Rastrojos, sendo o segundo de sete filhos.

Hugo Chavez teve formação militar e foi influenciado por Juan Velasco Alvarado, Peru, Omar Torrijos, Panamá, mas, ao contrário desses, era contrário ao governo de Augusto Pinochet, general de direita que assumiu o poder no Chile, com a ajuda da CIA. Chegou a ironizar essa condição: "com Torrijos, eu me tornei  um Torrijist; com Velasco eu me tornei um Velasquist; com Pinochet eu me tornei um anti-Pinochetist".

Leu livros de Karl Marx, Vladimir Lenin e Mao Tsé-Tung, mas o seu favorito era um livro de Ezequiel Zamora, escrito no século XIX.

Fonte: Wikipedia

Comentário: O resto da história nos acompanhamos de perto.

A morte de Chávez é uma grande perda para o socialismo democrata, justamente quando já era considerado o socialista mais importante do mundo, com a aposentadoria de Fidel Castro. Entretanto, inspirou Correa, Equador, que passa a ser o socialista mais importante do momento.

Chávez irritou a direita do Brasil ao estatizar as franquias da Petrobrás e as Redes de TVs, mas a esquerda não se abalou com isso.

É difícil não entrar em conflitos ideológicos, analisando a trajetória de Chávez. Já estava escrito que o seu interminável mandato só acabaria com a sua morte, afinal, ele enfrentou a morte para chegar até lá.

Lutou contra a polícia política, foi preso, mas nunca teve problemas com as eleições democráticas. Estatizou as redes de TVS, mas nunca censurou a internet.

Com essas medidas, sempre esteve ao lado do popular e morreu como tal, eleito democraticamente.

Eu sempre fui um grande crítico de Chávez, até ouvir verdades da boca do próprio povo venezuelano, foi aí que eu passei a ser mais moderado.

Chávez tinha esse carisma e essa capacidade de opinar sobre temas polêmicos, como EUA ou o famoso Chacal, mas foram suas alianças políticas que demonstraram sua coragem. Parecia que ele queria dizer o tempo todo: "Política é assim, meus irmãos, tudo depende do lado em que você está."

Eu descobri o lado em que Chávez estava, quando ele deu uns tapas em Roberto Requião, governador do Paraná. Foi uma grande surpresa, já que Requião tinha um perfil muito parecido com o dele.

Chávez fora convidado por Requião e discursou sob os olhares atentos da plateia curitibana, ao terminar, Requião soltou uma de sua pérolas. Chávez não ficou só nas palavras, foi uma bela briga pelo microfone - Adivinhe quem venceu?

Outro episódio polêmico foi a greve de fome de um pequeno fazendeiro que terminou de maneira trágica.

Também não dá para esquecer a crise diplomática que Chávez provocou no governo brasileiro, durante uma luta pelo poder na América Central, ou seu famoso discurso na ONU.

Aquele pequeno incidente com o rei da Espanha eu não considerei muito importante, apesar da mídia ter criado muita polêmica em torno do fato.

As notícias mais importantes, boicotadas pelas mídias de massa brasileiras, foram divulgadas só agora. Acontece que, apesar da dívida considerável da Venezuela - ninguém ousa criticar a dívida americana - Chávez diminuiu o desemprego e aumentou consideravelmente o PIB do povo venezuelano.

Esse é o socialista católico, e marxista,  Hugo Chávez, um homem polêmico, discutível, mas com uma característica indiscutível, era de fato um homem de coragem.

By Jânio

Hugo Chávez vai morrer



Postar um comentário