sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Top 10 países antiamericanos




A crise mundial aumentou o sentimento anti-capitalista e ser anti-capitalista é quase como ser anti-americano, em vários países os EUA viram os socialistas assumindo o poder e até os democratas conseguiram vencer as eleições americanas, assumindo todos os problemas criados no governo Bush.

O povo americano que está fora da elite, sempre foi muito ativo, admira-me que eles estejam tão acomodados. Entretanto, as teorias de conspiração que falam de extermínio em massa, pode ser um bom motivo para essa acomodação.

Alguns países, como Brasil, Espanha e França, são países que tem o socialismo forte, mas o capitalismo ainda reina absoluto. O Brasil é um país americanizado, na medida em que as mídias de massa, financiadas pelo império americano, quer assim.

A Alemanha é o país forte do Euro, mas não escapou da crise. Se todos os países ricos estiverem devendo para suas próprias empresas e bancos, como acontece nos EUA, então os Bilderbergers já herdaram a Terra, e que Deus tenha misericórdia de nós.

A Alemanha tornou-se a vilã do mundo quando Hitler assumiu o poder, a partir daí, o cinema e a mídia de massa transformaram a Alemanha num país de histórias obscuras, assim como seus aliados. Apesar disso, Alemanha, Itália e Japão, cresceram.

Muitos países melhoraram depois do fim do comunismo, até a chegada da crise e o reinício de um novo problema.

Sem falar do Iraque que ficou nas mãos dos americanos, e que, apesar de serem anti-americanos historicamente, passaram um bom tempo na geladeira, os países anti-americanos independentes são listados abaixo.

10) México - não é exatamente um país anti-americano e parte de sua população trabalha nos EUA. Entretanto, por isso mesmo, os americanos tiveram a ideia de criar um muro da vergonha, impedindo que a sua falta de estrutura (tráfico, violência e pobreza), espalhassem para o outro lado.

Isso  foi suficiente para relembrar aos mexicanos mais educados, a rivalidade histórica entre esses dois países. De fato, parte da história do México encontra-se do outro lado, até nos nomes das cidades, como Los Angeles e Las Vegas, cidades americanas com passado mexicano.

09) Equador - um país discreto que vinha se estranhando com os americanos, devido a presença dos americanos na Colômbia. Os americanos sempre acusaram o Equador de proteger membros das Farc.

A gota d'água foi quando Julian Assange pediu asilo para o Equador, ficando preso na embaixada em Londres. Alguns países já haviam sugerido que Assange fosse morto.

08) Argentina - o crescimento do socialismo argentino, o descaso dos países ricos com sua crise, a influência de Hugo Chavez, fez com que a Argentina, outrora o país mais estruturado da América Latina, criasse seus próprios mecanismos de proteção econômica, desafiando o sistema econômico mundial, justamente quando esse se encontra mais desacreditado.

Vários países latino-americanos apresentam características revolucionárias, inclusive em sua história, talvez por isso sejam pobres, boicotados pelos ricos. Entretanto, a Argentina tem capacidade intelectual que poderia influenciar até a poderosa China.

07) Rússia - depois da Segunda Guerra, a Rússia assumiu o posto de vilã, posto outrora ocupado pela Alemanha. A Rússia e os EUA dividiram o mundo em dois blocos, capitalista e comunista.

A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, URSS, acabou, mas a Rússia continua liderando grupos de esquerda, radicais, rebeldes e socialistas, pelo mundo.

06) China - enquanto os EUA brigavam com o mundo inteiro, gastando fortunas com a indústria bélica, o Japão cresceu. Os EUA mal tiveram tempo para arquitetar uma estratégia conspiratória contra o Japão e uma ameaça ainda maior surgiu, a China.

Ao contrário do Japão que queria disputar mercados, a China é o maior mercado do mundo. Assim, os magnatas americanos se aliaram com o "inimigo", em busca de mão-de-obra barata, tornando a China ainda mais forte.

Apesar de alguns pequenos incidentes e da propaganda da miséria chinesa pelo mundo, os chineses foram superiores a essa publicidade negativa, resultando na maior crise que o mundo está vendo. Eu fico surpreso que o mundo ainda esteja em pé, com tantos problemas.

A crise poderá até afetar a China, mas não mudará muita coisa por lá, exceto diminuir o lucro chinês. Assim como no Brasil, a China possui muitos pobres e são eles as maiores vítimas.

05) Cuba - é o maior símbolo de resistência ao capitalismo. Muito criticado pela pena de morte para quem sai do país, já que os EUA liberaram entrada dos cubanos, na intenção de acabar com o país, mas admirado pelos líderes socialistas do mundo inteiro.

Fidel ficou no poder durante anos, quando saiu, deixou seu irmão.

Cuba é o país que mais tempo se opôs aos americanos, fora do Oriente Médio, e suas leis são duras. Não é um adversário perigoso, exceto pela influência que exerce, até em Hugo Chavez.

04) Venezuela - trata-se do país que mais provoca, incomoda, apesar de não ter muito poder. Hugo Chavez é conhecido pela coragem de falar o que pensa e provocar polêmica, além de ser o político mais influente da América Latina.

Apesar de não oferecer perigo algum, as provocações de Chavez já levaram pelo menos um país a ameaçá-lo de morte.

03) Coréia do Norte - já foi protagonista até de filmes de 007, entretanto, a vitória dos democratas e as supostas ameaças iranianas tiraram a Coréia do Norte do centro das atenções.

Seus testes nucleares tem incomodado a Coreia do Sul, mas só sabemos o que as agências de notícias publicam.

02) Irã - esse é, segundo as mídias de massa, o maior perigo do momento. Ameaçá-lo de boicote, seria condenar a Europa a ficar sem petróleo.

O Irã diz que a tecnologia nuclear é para fins pacíficos, geração de energia, enquanto os EUA e aliados dizem que o Irã não precisa de energia, com tanto petróleo.

01) Palestina - apesar de não oferecer nenhum perigo em escala mundial, os palestinos vivem de doação. Seu sofrimento serve de inspiração para terroristas do mundo inteiro.

Vivem em uma guerra permanente com Israel, sem ter o que comer ou beber. Quando perdem a cabeça com os vizinhos, perdem a cabeça literalmente, com tantas bombas que recebem em troca.

Direitos humanos não existem na Palestina, em um território decadente, ambiente perfeito para o trânsito de jovens sem educação e que só conhecem um sentimento, o ódio.

By Jânio

Países que mais crescem no mundo

FMI rompe relações com a Argentina

BRICS - O poder dos emergentes

Blocos latino-americanos

Latino-americanos mais resistentes a crise

Ranking dos países que mais estão contratando empregados

Aumenta a tensão nas  Ilhas Malvinas
Postar um comentário