quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Blogueira famosa enfrenta protestos




WIKIPEDIA: "Yoani Sánchez (Havana, 4 de setembro de 1975) é uma filósofa e jornalista cubana. Licenciada em Filosogia em 2000 na Universidade de Havana, alcançou fama internacional e numerosos prêmios por seus artigos e suas críticas da situação social em Cuba, sob o governo de Fidel Castro e de seu sucessor, Raúl Castro.

É conhecida por seu blog Generación Y, editado desde abril de 2007, com dificuldades, porque não pode acessá-lo de casa, e por isso definiu-se como uma blogueira "cega". A revista Time a incluiu em sua lista de "cem pessoas mais influentes de 2008", dizendo que "debaixo do nariz de um regime que nunca tolerou dissensão, Sánchez exerce um direito não garantido aos jornalistas que trabalham com papel: liberdade de expressão".

Comentário: É realmente uma pena que os manifestantes de esquerda tenham recebido Yoani tão mal, não é difícil entender o que eles pensam e os seus interesses, mas é covardia usar a violência contra uma pessoa que pensa.

Fidel Castro é um ícone de resistência ao capitalismo, disso ninguém duvida. Ninguém duvida também de sua influência em lideranças de esquerda e até de direita.

Fidel Castro tem entre os seus admiradores, desde Lula e Dilma, até FHC. Como um defensor da globalização, como FHC, poderia apoiar o seu sistema de governo, já um grande mistério - FHC é realmente muito misterioso.

A Rússia subsidiou a economia Cubana durante três décadas, por isso Cuba pôde resistir ao poderio do G-7. Entretanto, nenhum sistema que foi contra o capitalismo, sobreviveu para contar a história, principalmente sem o comunismo russo.

Sendo um país tão pequeno, Cuba influenciou gigantes como a China. As guerras frequentes dos EUA, em todo o mundo, cegaram seus líderes diante das economias emergentes.

As guerras foram úteis para que os magnatas das indústrias bélicas se tornassem ainda mais ricos.

Os americanos venceram a força Russa, com estratégias discutíveis e aliados indiscutíveis, depois foi a vez do Japão, que chegou a ameaçar a economia americana, mas cometeu um erro, investir no império inimigo. Grandes empresas americanas foram compradas por magnatas japoneses, mantendo grande parte da riqueza japonesa no maior inferno fiscal do mundo.

Nas sombras, um gigante adormecia e esperava o momento de agir.

Quando a China emergiu internacionalmente, com um mercado gigantesco de 25% da população mundial, e com um poderio de controle e manipulação que supera até o brasileiro, ninguém mais pôde segurá-lo. Curiosamente, a China não subsidiou Cuba, pelo menos que eu saiba, ao invés disso, aliou-se com os magnatas americanos, que cometeram o mesmo erro dos magnatas japoneses, investiram no império inimigo.

O resultado está aí: o governo chinês atraiu a maior parte dos capitais mundiais e depois endureceu as regras, dificultando a migração de capitais para o exterior. Quem é que vai dizer que o dragão está errado?

Aconteceu tudo na hora errada: os EUA subestimaram o tempo da sabedoria e da tecnologia que iria se voltar contra eles, o que deu ainda mais força para a esquerda. Mesmo com a ascensão da esquerda, Cuba permaneceu só, com muitos elogios mas pouca ajuda, pior, isolada do mundo, por imposição dos americanos.

Há momentos em que a lógica perde a razão.

Eu sou contra a implantação da democracia no Iraque, sem que antes seja proporcionado uma educação adequada. O fundamentalismo religioso e racista combinado a conspiração de minorias transforma o país numa comunidade terrorista, pior, aterrorizada pelos americanos, e, depois de gerações, fica difícil de mudar.

Em Cuba, acontece a mesma coisa. Eu seria louco se dissesse que concordo com um governo que permanece cinquenta anos no poder, a pergunta é: Se o sistema mudar, haverá melhora?

Será que houve melhora na Rússia?

Eu era contra a permanência de Hugo Chavez no poder, por mais de um mandato, mas depois de tantos comentários em meu blog, eu passei a refletir melhor, achei melhor deixar o povo venezuelano decidir.

Acontece que eu descobri que Hugo Chavez não tem medo da democracia e é eleito democraticamente. Além disso, não há nenhuma rede de TV tão forte quanto a Rede Globo por lá, então, o que dizer sobre isso?

Aqui no Brasil, com exceção dessa última eleição, havia a maior concentração de prostitutas e bandidos por metro quadrado em minha cidade. Boca de urna, fiscais corruptos e urnas eletrônicas que os EUA anda não adotaram, por que será?

Enquanto o brasileiro vota, há uma pessoa que controla tudo remotamente e avisa: é proibido câmeras, máquinas digitais, calculadoras, etc.

Yoani critica o governo cubano, não pode usar o computador de casa e é vigiada por autoridades locais. Ganhou notoriedade, mas precisa do apoio internacional.

Segundo ela, as críticas que recebeu no Brasil são mais duras até que em Cuba. Foi preciso interromper o documentário no qual ela participa, devido as manifestações.

... mas o que ela esperava. Ela tem de lembrar que está no Brasil e não nos EUA.

O Brasil é governado por um governo de esquerda e até a oposição é próxima de Fidel Castro.

O convite do PSDB para discursar em Brasília é no mínimo curioso, espero que ela não entre nesse jogo político, não seria nada bom para a reputação dela. Aliás, eu acho até que ela deveria manter-se acima do bipartidarismo.

Fidel era muito amigo de Che Guevara, juntos venceram a revolução, entretanto, nota-se que Fidel é muito diferente de Guevara.

É inacreditável as mudanças que estão ocorrendo em Cuba, como uma mulher tão influente seja capaz de criticar um regime tão rígido e ainda receber autorização para sair do país várias vezes. Também é inacreditável como uma pessoa tão crítica queira voltar, motivada pelo amor à família.

Cuba realmente está mudando, já o Brasil...

By Jânio

Postar um comentário