quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Filosofia do caos



Eu já sabia que a filosofia estava sendo abandonada, há algum tempo. O que eu descobri, agora, é que ela não só está sendo abandonada, como não fará falta para o sistema bipartidário, assim como não fará falta em outras áreas ligadas a infraestrutura.

Isso acontece porque o Estado sente a necessidade de ter lucro e não quer fechar no vermelho, como se fosse uma empresa comercial.

A culpa para essa decadência social, e da filosofia, talvez tenha sido da própria educação nessa área. Talvez tenhamos subestimado a maldade natural do homem, deixando que essa decadência tomasse conta de todo o mundo.

Como eu já disse antes, a covardia é o maior dos pecados. Eu também já disse que não somos formigas e que mesmo as formigas, tão conformadas com as mortes de suas companheiras, são capazes de reagir quando sua própria vida está em perigo.

Não estamos mais na pre-história e a nossa sobrevivência, agora, depende de um desenvolvimento social muito complexo. Quanto mais se elaboram tecnologias e argumentos sofisticados, mais longe ficamos de nossa natureza.

Muita gente pode se achar um ser vivo evoluído, mas poucos de nós poderíamos sobreviver diante de uma catástrofe natural. Na mesma região por onde viveram civilizações milenares, certamente as mesmas formigas vivem sua vida normal, hoje, como se nada tivesse acontecido no passado.

Os filósofos são os mais desempregados de hoje, mas não devemos subestimar a sua capacidade de sobrevivência. Eles possuem também boa capacidade de argumentação, comunicação, podem ser bons professores, com a vantagem de educar para a vida, mesmo se as matérias estudadas forem outras.

Sim, os filósofos sobreviverão ao caos, assim como as formigas, suas inspiradoras,  e nós também sobreviveremos, mas precisamos reavaliar urgentemente nossos conceitos relacionados às nossas necessidades básicas.

By Jânio

A glória dos desgraçados

O rico mais pobre

Famílias abandonadas

Loteria da vida

Pobre classe média

Burguesia - Ricos modernos

Postar um comentário