segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Revoluções de pensamentos




Eu nem ia escrever sobre esse tema hoje, mas como eu tenho recebido muitas críticas em relação a esse assunto, então torna-se inevitável continuar a discussão. Acontece que em vários posts relacionados ao racismo, principalmente no caso de Mayara Petruso, as pessoas tem insinuado que eu esteja sendo racista ou incitando a luta de classes.

É bom eu ir adiantando aqui que eu sou contra o racismo - qualquer tipo - e contra a luta de classes também. Se há uma guerra de classes no Brasil, não fui eu quem começou essa guerra, mas eu sei muito bem de que lado eu irei ficar.

Como eu disse dezenas de vezes, o sistema elitizado de quinhentos anos, herdado de Portugal, mas que foi desenvolvido à perfeição por nós brasileiros, chegou ao limite e faliu. Durante esses quinhentos anos, um sistema de controle, domesticação, formado por um exército de burgueses muito bem preparados, conseguiu submeter a sociedade aos seus caprichos, e durante quinhentos anos isso funcionou, graças a estabilidade promovida por políticas externas que também tinham interesses em estender seus domínios por aqui, como foi o caso do escândalo da Globo - Muito mais que um cidadão Kane - onde as grandes corporações internacionais financiaram, às custas do próprio estado brasileiro, a criação da Globo e que mais tarde ajudaria a monopolizar a informação para o governo, destruindo a concorrência.

Não estamos falando só de  capitalismo ou democracia - a democracia, inclusive, é um conceito muito mais antigo -  estamos falando de filosofia imperialista, bem ao estilo romano, que se repetiu na Idade Média, e que nunca perdeu a pose até hoje. Até a Igreja Católica passou a ser muito criticada, devido ao seu culto à pobreza, herdado do cristianismo.

A igreja católica, inclusive, tem sido muito útil ao imperialismo, que tem muito interesse em manter a pobreza, o comunismo também comete esse pecado e eu até me surpreendo desse distanciamento da igreja católica em relação a comunismo.

Não é que a igreja católica tenha culpa, acontece que a igreja católica se especializou em pobres e tem surpreendido o mundo com seus projetos sociais, como foi o caso do projeto de Zilda Arns, uma campanha quase perfeita.

Fora das religiões, não é tão fácil explicar a formas como se conspira contra a união da sociedade, criando dezenas de grupos de minorias, com a desculpa de que irão ajudar. Na realidade essa é a única forma de separar o que seria a maioria.

O comércio de consumo varejista criou cinco classes, pelo menos que eu me lembre, para separar os seus clientes. Acredite se quiser, em cada uma dessas classes, você terá um tratamento diferenciado.

Se você vê o Luciano Huck abraçando o Pelé, numa viagem de volta de Angola, isso não é igualdade de raças, é a representatividade de uma classe, o que é bem diferente. O Pelé - aquele mesmo que defendia as criancinhas - depois de muitas críticas, passou a defender também os ex-jogadores da seleção que morriam de velhice, abandonados em algum barraco, em algum canto do país - não dá para dizer que o rei não tenha melhorado a sua postura social, afinal de contas, não fui eu quem disse que o rei era demagogo.

Não, a crise mundial não demonstra apenas a falência do capitalismo, comunismo, socialismo, fascismo, racismo, nazismo ou qualquer outra forma de controle político-econômico-social, trata-se, sim, do fim de uma era.

Eu venho alertando para isso durante décadas. Basta uma pequena análise no desenvolvimento político-social-econômico para verificarmos isso. Podemos observar, além disso, como a tecnologia tem influenciado nessas mudanças, a maneira como, involuntariamente, a democracia se fundiu com a tecnologia da informação, colocando em risco todos os sistemas de controle, manipulação e domesticação, inclusive o capitalismo.

Agora, o capitalismo está usando os direitos autorais para censurar a internet, como se o próprio capitalismo não tivesse explorado e roubado esses direitos durante séculos.  Naturalmente, está esbarrando num conceito ao qual sempre estabeleceu um paradoxo, a democracia.

Se é verdade que um dos homens mais populares do mundo, Hitler, disse que deve-se manter tudo o que é complexo, sofisticado e inteligente, longe do povo, parece que um desses fenômenos da atualidade são os virais.

Os novos artistas surgem de realities, e eu não estou falando da estúpida manipulação dos Big  Brothers da vida não, estou falando de virais que surgem da própria internet e mantém-se na internet, independente da TV, mostrando que todas as mídias virtuais juntas, desbancam a todas as redes de TVs juntas.

Eu já notei várias tentativas de manipulação política, com tendências de direita, mas até nisso a esquerda se deu melhor. Por ser popular - Ou seria populista? - a esquerda tem se unido aos rebeldes sem causa e anarquistas, e tirado vantagens disso tudo.

È, meus amigos, mas como eu tenho dito, o sistema bipartidário está com os dias contados, portanto, a esquerda poderá ter uma vida mais curta que a direita já teve, ou seja, finalmente os ativistas de esquerda do mundo inteiro saberão a diferença entre socialismo e anarquismo. Saberão que o fato de Che Guevara ser amigo de Fidel Castro, isso não quer dizer que eles fossem iguais.

Essa personalização de conceitos e costumes, poderá levar a sociedade a uma revolução de pensamentos, onde as religiões e a política deixarão de controlar as pessoas, ao invés disso, as pessoas passarão a controlar a política e as religiões.

... e finalmente o ser humano terá atingido um novo nível de consciência, onde o racismo, política, religião e briga de classes, deixarão de ser temas a serem discutidos, afinal, o que é certo é certo, e tenho dito.

By Jânio

O despertar para a superconsciência

Mayara Petruso é condenada

25 pontos chaves do Nazismo

Unanimidade política

Veneno Bipartidário

Postar um comentário