terça-feira, 20 de novembro de 2012

O grupo dos onze




Não é surpresa que a taxa de juros seja baixa no México, afinal, taxa alta de juros só ocorria no Brasil, chegando a ultrapassar os 20% ao ano, o que assustava até os países mais otimistas. Entretanto, a baixa da taxa de juros não alterou muita coisa no Brasil, já que a classe média não tem mais força nem para especular contra o governo.

Se no México surgiram os oligopólios, controlando tudo, aqui no Brasil não está longe disso, afinal de contas, com a falta de concorrência, provocada pela alta carga de impostos, é a melhor forma de monopolizar o mercado.

O México que sofria com a concorrência da China, aproveita a desaceleração econômica chinesa para reassumir o posto de maior parceiro econômico dos EUA. O Brasil vai perder espaço no mercado internacional, tanto com o crescimento mexicano, quanto com a desaceleração econômica da China,  grande parceira econômico do Brasil.

Os países mais atraentes para investimentos são:

México

Indonésia

Coréia do Sul

Turquia

Além do Mist, os outros países que são considerados bons para investimentos estrangeiros são:

Bangladesh

Egito

Irã

Nigéria

Paquistão

Filipinas

Vietnã

Apesar do Crescimento do MIST e de todo o grupo dos onze, relacionados acima, o BRICS ainda continua muito importante para a economia mundial, devido ao seu PIB.

Colômbia e Nigéria também são considerados importantes, assim como o grupo do onze, que apresentam um PIB bem menor que o BRICS e uma grande dependência da exportação de matérias-primas.

O MIST tem melhorado o ambiente de negócios, um fator decepcionante no Brasil, assim como a má distribuição de renda, baseada em distribuição de cestas básicas e outros benefícios.

As medidas protecionistas brasileiras não agradaram o mercado internacional, que estão preferindo observar outros países mais atrativos.

Eu, pessoalmente, acho que o governo demorou para baixar as taxas de juros, o que beneficiou os monopólios mas prejudicou as indústrias e principalmente a concorrência.

Agora, o governo descobrirá da maneira mais dura, que o jogo macro-econômico, baseado nas taxas de juros, não funciona mais, pior, vai ter de baixar impostos e melhorar a concorrência.

Só há uma maneira de fazer isso: Prendendo os corruptos, poderosos e banqueiros.

Caso isso não aconteça, o país poderá ter sua crise aumentada e o mercado informal voltará a crescer. Isso sem falar nas organizações criminosas, formadas principalmente por pessoas que não acreditam no sistema e que já encontraram sua forma alternativa de vida.

Previsão do PIB para 2.050 - em trilhões.

01 China em 2050 70.710.000

02 EUA PIB 2.050 38.514.000

03 India  37.668.000

04 Brasil 11.366.000

05 México 9.340.000

06 Russia  8.580.000

07 Indonesia 7.010.000

08 Japão 6.677.000

09 Reino Unido 5.133.000

10 Alemanha 5.024.000

11 Nigeria 4.640.000

12 França 4.592.000

13 Corea do Sul 4.083.000

14 Turquía 3.943.000

15 Vietnã 3.607.000

16 Canadá 3.149.000

17 Filipinas 3.010.000

18 Italia 2.950.000

19 Irã 2.663.000

20 Egito 2.602.000

21 Paquistão 2.085.000

22 Bangladesh 1.466.000
 
PIB (nominal) per capita  2050

01 Estados Unidos 91.697

02 Corea do Sul 90.294

03 Reino Unido 80.234

04 Russia 78.576

05 Canadá 76.002

06 França 75.253

07 Alemanha 68.253

08 Japão 66.846

09 México 63.149

10 Italia 58.545

11 Brasil 49.759

12 China 49.650

13 Turquía 45.595

14 Vietnã 33.472

15 Irã 32.676

16 Indonesia 22.395

17 India 20.836

18 Egito 20.500

19 Filipinas 20.388

20 Nigeria 13.014

21 Paquistão 7.066

22 Bangladesh 5.235

23 Miembros de MIKT

Fonte: Wikipedia

Países que mais crescem no mundo

Blocos de países ricos

Blocos econômicos latino-americanos

A força dos BRICS


Postar um comentário