terça-feira, 13 de novembro de 2012

Dom natural




Outro dia, eu li num determinado blog que as profissões que mais criam psicopatas são CEO, jornalismo (jornalista) e Direito (advogados). Eu cheguei até a me lembrar do que disse  um outro blogueiro, sobre o fato de os estudantes esquecerem seus dons e observarem mais as oportunidades, o que representa um perigo para a sociedade.

Isso faz a gente pensar em como seria o mundo, se todos respeitassem seus dons, observassem suas qualidades, aproveitando para seguir o caminho que a natureza nos oferece. Se isso acontecesse, certamente não teríamos psiquiatras e terapeutas loucos.

... e por falar em loucos, isso nos faz lembrar que os loucos são muito inteligentes, apesar de discriminados. Aliás, pensando bem, todos somos dotados de inteligência, já dizia uma amigo meu.

Mas parece que só isso também não resolve todos os problemas vocacionais, assim, voltamos ao problema básico da educação.

Não é à toa que tantas pessoas apresentam instabilidade emocional, vivendo contra a natureza, num mundo de aparências.

Uma pessoa que escolhe uma profissão aparentemente mais lucrativa, não irá apresentar todo o seu potencial produtivo para a sociedade.

Copérnico tornou-se famoso pela sua importância na astronomia moderna, revolucionou esses conceitos, apesar de tratar da astronomia apenas como um Hobby; Nostradammus tornou-se famoso pelo seu estudo sobre um livro misterioso da Bíblia, o apocalipse, mas era um homem muito inteligente, com conhecimentos em várias áreas diferentes - foi muito importante na medicina, quando o mundo mais precisou de médicos.

Copérnico era importante como padre, como médico, mas tornou-se genial como astrônomo. Nostradammus dominava muitos conhecimentos, mas foi com a argumentação escrita que ele se notabilizou.

Por mais que uma pessoa estude alguma matéria importante, sempre haverá alguma outra  matéria que essa pessoa domine. Na matéria dominada por uma pessoa, nota-se  a facilidade em se aprender tudo como se ela nascesse sabendo.

A música apresentou grandes celebridades precoces, belos exemplos de talentos pródigos. Entre os grandes conquistadores, Alexandre Magno, o grande, foi um caso único na história.

Quando uma pessoa tem uma profissão mas não se realiza nela, tal profissão torna-se trabalho e a pessoa deixa de viver, tornando-se escravo de seus próprios pecados. Isso ocorre devido a falta de sensibilidade, quando uma pessoa amaria fazer o que faz e não conseguiria viver sem isso.

Se uma pessoa não tem sensibilidade, pode passar a vida procurando por algo que nunca encontra, entretanto, pessoas sensíveis nem sabem o que deveria ser procurado, pois vivem o que sempre tiveram, a vontade de viver naturalmente.

By Jânio

Inteligência teórica

Fantasias só para adultos




Postar um comentário