domingo, 16 de setembro de 2012

Innocence of Muslims é mantido no Youtube




Youtube se nega a apagar o trailer do filme que provocou os protestos islâmicos - O site bloqueou o vídeo só no Egito e na Líbia.

Apesar da morte do embaixador dos EUA, na Líbia, o Youtube se recusa a apagar o vídeo que enfureceu os muçulmanos ao redor do mundo, bloqueando somente no Egíto e na Líbia.

Os usuários de internet desses dois países não poderão acessar o vídeo de 14 minutos que provocou tanta indignação, já que o polêmico vídeo é visto como um insulto ao profeta Maomé.

O Youtube divulgou um comunicado "desafio" para manter um ambiente em que todas as opiniões poderão ser expressas, afirmando que "o que é ofensivo em um país, poderá não ser em outro". "Este vídeo está disponível integralmente na rede, por estar dentro de nossas diretrizes e, assim, permanecerá no Youtube". No entanto, dada a difícil situação na Líbia e Egito, estaremos restringindo temporariamente o acesso em ambos países.

Nossos corações estão com as famílias das pessoas assassinadas no ataque de ontem na Líbia", disse o comunicado.

Os muçulmanos ultraconservadores, movidos pela indignação que lhes causou o vídeo, invadiram a embaixada dos EUA, no Cairo, e substituíram a bandeira americana pela  bandeira islâmica. Mais tarde, na Líbia, um grupo de pessoas desconhecidas atacou o consulado dos EUA, na cidade líbia de Benghazi, matando o embaixador dos EUA na Líbia e três membros de sua equipe.

O vídeo de 14 minutos de duração, é um trailer de um filme de baixo orçamento, intitulado "Os muçulmanos inocentes", mostrando Maomé como um mulherengo irresponsável que aprova o abuso sexual.

Anteriormente, o Afeganistão já havia proibido o acesso ao site Youtube para os afegãos não terem a possibilidade de ver o filme americano que consideram ofensivo ao Maomé.

Fonte RT-TV

Inocente encrenca de Maomé













Postar um comentário