terça-feira, 17 de julho de 2012

Parceria político global dos traídos



A tão esperada entrevista polêmica de Rosane Collor não aconteceu, e quem esperava que ela falasse algo de novo sobre o ex-marido, ficou decepcionado - vale lembrar que PC Farias falou contra todos os políticos e pagou muito caro por isso.

Eu achei muito estranho, quando fiquei sabendo que ela daria uma entrevista. Se Fernando Collor fazia parte da franquia "Rede Globo", responsável por elegê-lo e promover a sua cassação mais tarde, porque esse ataque agora?

Se as CPIs estão chegando muito perto da Rede Globo, isso seria um motivo para dar um aviso. A entrevista não representou mais do que um aviso.

As declarações de Rosane são tão fracas que nem serviriam para programas de fofocas. Eu não assisti o programa e nem tive muita curiosidade. Pelo que parece,  seria mais uma briga pessoal, uma vingança de mulher traída.

Desde as primeiras entrevistas, quando sua pensão era de onze mil reais, subindo para dezoito mil, ela já deu várias entrevistas. Em cada entrevista Rosane fica mais agressiva e parece exigir mais do marido, mas nada que eu já não tenha visto em minha pequena cidade, guardadas as devidas proporções, naturalmente.

Rosane diz que sua amiga recebe quarenta mil de pensão e que conheceu reis e rainhas. Pelo jeito, ela não perdeu a majestade e quarenta mil é para tirar a paciência de qualquer marido que se preze, mesmo sendo rico.

Aliás, eu não sei o que um bilionário, como Collor, faz na política, junto com outros tantos bilionários, como Sarney, Renan Calheiros, Paulo Maluf, etc.

Rosane já vem dando entrevistas há muito tempo, repetindo o mesmo discurso, as mesmas fofocas.

A tal macumbeira, Maria Cecília, parece que também se sente traída e não quer abandonar os ovos da galinha de ouro. Virou pastora mas não perdeu seus objetivos, infernizar a vida do ex-pupilo.

Eu nunca ouvi falar de uma mulher que recebesse quarenta mil de pensão. Receber bens, tudo bem, mas pensão alta assim, é a primeira vez.

Rosane reclama de pensão - e ela nem é tão velha assim - reclama da separação - e isso é problema judicial - fala até de macumba, só falta falar de política. Esse tipo de entrevista mostra uma mulher submissa e deixa a desejar como uma ex-esposa de ex-presidente do Brasil.

Parece que ela queria se vingar do marido, escrevendo o livro. Para divulgar o livro, utilizou a Globo.

... mas as coisas podem não ser o que parece e a Globo pode estar utilizando Rosane Collor e tentando desenterrar restos da sujeira de collor, para ver se consegue desviar a atenção dos documentos divulgados pela Suíça, sobre o escândalo da FIFA.

O que eu posso dizer é que Fernando Collor tinha muitos defeitos de político, mas sabia brigar e tinha coragem, isso pode render muitas emoções nos próximos capítulos, afinal, a Globo vive de novelas.

Se a ideia era aumentar a audiência, pode ter funcionado durante algum tempo, mas as melhores informações da época de PC Farias, ainda estão na internet.

Para a sorte de Rosane, ela não é tão genial como pensávamos, isso é muito bom para ela, para que ela não siga os passos de PC Farias, terminando numa cova.

"Eu sou um arquivo vivo", pode significar: Comprem o meu livro, apesar de não ter nada de interessante, a não ser pelas macumbas - esse deverá ser o primeiro livro evangélico de macumbas.

Todo mundo esperava que ela falasse dos podres da política ou sobre o maior mistério que o país já pode acompanhar, a morte de PC Farias. A entrevista mostrou que ela não sabe nada sobre a vida política do ex-marido e muito menos sobre PC Farias.

Quando um político quer ser eleito, costuma comprar os votos de pessoas desgraçadas pela dura vida de ser brasileiro, onde todos elogiam o sistema e quando precisam de um hospital, transporte, segurança, escola, descobrem que não tinham nada.

Pois bem, quando esses representantes dos desgraçados são eleitos, fazem o que qualquer político desgraçado pela falta de moral e bons costumes faria, ou seja, vendem sua representatividade para os empresários que pagarem mais.

Isso aconteceu na época de PC farias, aconteceu na época do mensalão, mensalinho, privataria tucana e na CPI de cachoeira e mostra como os políticos estão mal acostumados, tando que o senhor ficha limpa nem imaginou que fosse ilegal, nenhum político acha.

A direita é muito mais organizada, por isso, os negócios políticos se confundem com as corporações que os financiam, por isso é tão difícil de investigá-los.

Foi o que aconteceu com a Rede Globo, que não teria dinheiro para cobrir a oferta da Rede Record e acabou sendo flagrada pelo escândalo da FIFA, inclusive com a documentação publicada para o mundo inteiro, pela justiça Suíça, que é a grande vilã da crise mundial e que terá que fazer muito mais que isso para limpar a sua longa história criminosa.

Restou a Rede Globo começar desacreditar os seus algozes, como Fernando Collor, caçador de marajás, que vem de uma família de pessoas que não hesitariam em matar um homem dentro câmara ou senado, daí o temor dos políticos em falar de PC Farias ou de Collor.

Não, Rosane não falará nada, nem é essa a sua função, mas ficou bem claro quais são as peças que poderão ser jogadas, caso cada um dos lados não respeite as regras do jogo político.

By Jânio


A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil



Postar um comentário