sábado, 12 de maio de 2012

Palavras cruzadas - O jogo da morte




O clima ficou tenso na Venezuela, depois que o filósofo e cientista político Miguel Pérez Pirela verificou em um jogo de palavras cruzadas, uma suposta mensagem conspiratória contra Chavez. Segundo o cientista, algumas palavras que lhe chamaram a atenção foram Adán, ráfagas, llanura, probalidad, base e asesinan.

Segundo Pirela, podem estar dizendo de onde vem os tiros, lembrando a maneira como o líder francês Charles de Gaulle enviava mensagens cifradas em palavras cruzadas, a partir de Londres, para a resistência anti-nazista durante a Segunda Guerra.

Um grupo de matemáticos, psicólogos e outros especialistas, também estudaram as palavras cruzadas e concluíram que continha instruções para um complô.

Entretanto o autor das palavras cruzadas desmentiu as acusações: "É tolice pensar isso. Eu acho que é mais um grupo de pessoas irresponsáveis que buscam gerar opinião em época de eleição", disse ele.

Chavez acusou a oposição de incitar a violência.

Fonte: RT-TV

http://actualidad.rt.com/actualidad/view/44334-Juego-de-letras-o-de-muerte

Comentários: Essa notícia me lembrou os anos 70 no Brasil. Naquela época, as revistas em quadrinhos grifavam palavras em negritos, apesar de ninguém saber o motivo.

Eu conversei com vários amigos e professores e ninguém encontrou o motivo para tantas palavras em negrito, era como se os editores estivessem provocando.

Era época de abertura política, quando os militares já estavam esgotados de tanto resistir aos mesmos burgueses que os haviam apoiado em 64. A TV globo monopolizando as comunicações, mas sem a qualidade informativa das concorrentes.

Os militares eram favorecidos pela ignorância das pessoas que não tinham estudo suficiente para assistir à programas que não fossem da Globo. Hoje, tudo ficou muito pior, todas as TVs estão nas mãos dos políticos e sobrou só a internet para as pessoas sensatas e que ainda conseguem pensar.

Apesar disso, havia um clima muito ruim. Eu nasci já na época da abertura, mas quem viveu em 64, jura que ninguém podia usar roupa vermelhas e as músicas, matérias, cultura, tudo passava pelas mãos da censura e pouca coisa era liberada.

Chavez fez o contrário, estatizou grandes redes de televisão e liberou a internet, mas as conspirações são inevitáveis. Chavez está pagando o preço de ter desafiado a elite do país, parasitas que só crescem se chuparem o sangue alheio, como acontece no Brasil.

By Jânio
Postar um comentário