sábado, 26 de maio de 2012

O avião invisível chinês



A falta de bons motores atrapalha o desenvolvimento do avião invisível chinês.

Embora a China esteja no quarto protótipo do seu caça de quinta geração, o projeto vem enfrentando problemas pela falta de motores confiáveis. A empresa aeronáutica China Chengdu Aircraft Corporation iniciou voo experimental em janeiro de 2.011.

Segundo informa o portal Jane's, atualmente só dois protótipos sob os números 2.001 e 2.002 efetuam vôos experimentais, enquanto os demais estão sendo testados em terra.

Em um dos protótipos, foram instalados dois motores distintos e presume-se que um seja de produção Russa. Trata-se do motor AL-31F ou AL-41F. O segundo motor desta aeronave é o WS-10A, de desenvolvimento doméstico. O outro protótipo volante está dotado de motores chineses WS-10A, projetados pela empresa Liming Aeroengine Manufacturing. Vale recordar que o motor turbofan AL-31 da planta Saturn da Rússia foi desenvolvido ao longo de 20 anos, para aviões de combate da série Su-27.

No entanto, o desenvolvimento do J-20 esta sendo  realizado com muitas dificuldades  e demora.

Esses projetos ainda não estão com propulsão confiável e não desenvolvem o impulso necessário.

Outro problema chinês é que os especialistas em  materiais resistentes ainda não conseguiram aumentar a vida útil do WS-10A.

Enquanto isso, segundo a força aérea chinesa, o avião de desenvolvimento de quinta geração estaria operativo entre 2.017 e 2.019.

Fonte - RT-TV


Comentários - A parceria entre a Rússia e a China  parece muito boa no papel, mas tem limites. Quando se trata de tecnologias estratégicas de ponta, nem os EUA e nem a Rússia tem interesses de compartilhá-las.

Era o caso, por exemplo, da bomba atômica.

Os projetos de aviões invisíveis são tecnologias de ponta, restritas a pouquíssimos países, uma tecnologia que os torna, de certa maneira, os donos do mundo.

A China avançou muito, tecnologicamente, mas não o suficiente. No fim da década de sessenta, era a corrida espacial que mostrava quem era mais forte, pelo jeito, a corrida não terminou.

Procurando independência, a China se desenvolve rapidamente mas, com o motor Russo, essa independência não será possível. E, pelo que parece, nenhum dos dois motores foram satisfatórios.

Os EUA atraem cientistas de ponta de todas as partes do mundo, inclusive do Brasil, por isso, continuarão reinando absolutos por mais alguns anos.

By Jânio

Postar um comentário