segunda-feira, 5 de março de 2012

Vida de rico




Há vários tipos de ricos  e os burgueses, classe média alta, são ricos que não tem a pretensão de serem patrões e preferem servir, sendo conhecidos e respeitados como ricos.

Os verdadeiros ricos, seus patrões, banqueiros, lobistas, consultores, são muito discretos e raramente são vistos.

Os verdadeiros ricos fazem parte de um pequeno grupo de pessoas ligadas ao poder, são mais conhecidos pela imprensa internacional que no país  onde moram.

Os ricos de fachada, burgueses, são funcionários que  ganham salários que o pobre sequer sonha, alguns gostam de processar empresas de comunicação que expõem seu nome, e nem é pelo dinheiro, mas pelo poder que exercem. Outros trabalham em redes de TV e ganham salários que não gostam de revelar, mas acaba vazando, são fundamentais no papel de formação planejada de opinião pública.

Os patrões ricos tem como característica principal, identificar talentos, pessoas capazes de descobrir tesouros, com grandes idéias e habilidades. Alguns desses talentos despertam tanto a admiração desses patrões ricos que acabam se tornando da família, literalmente falando.

Também há ricos playboys, aqueles que  fazem questão de ter uma namorada bonita, as Marias-banqueiros ou marias-empresários, mas essas nunca tem bens em seu nome, pelo menos enquanto não provarem que merecem. Para os patrões ricos, seu gerente ainda é mais importante que suas namoradas.

Grandes empresários só conhecem a língua do dinheiro, e acreditam que tudo pode ser conseguido através do dinheiro, mas espertos que são, utilizam o dinheiro apenas como um meio para adquirir bens.

Empresários passam o tempo pensando em negócios e raramente deixam passar uma oportunidade. Nem sempre terão um herdeiro a altura, mas quando identificam alguém com talento suficiente, fazem questão de passar sua administração para o escolhido.

Não temos tantas tradições de homens ricos no Brasil, a maioria prefere manter suas fortunas em infernos fiscais. O banqueiro brasileiro Daniel Dantas ficou conhecido no mundo inteiro, chegando a ser citado pela Financial Times.

Ser rico no Brasil, sempre representou ser desonesto, por isso, ninguém gosta de ser chamado de rico por aqui, exceto algumas famílias que criaram verdadeiras comunidades em torno de si, sem muito contado com outras classes da sociedade.

Ricos gostam de criar ONGs, isso tem se tornado cada vez mais comuns. Os ricos transferem toda a sua fortuna para suas ONGs e  administram-nas acompanhados de seus funcionários de confiança.

Outro comportamento assustador de homens ricos, tem sido a sua capacidade de formar grandes consórcios, que por sua vez formam grandes corporações. Os bancos pagam juros altos para atrair capitais de pessoas ricas, inclusive negociando pessoalmente com elas.

Pessoas Ricas são o oposto das pessoas pobres e quase nunca as encontram, sempre vivendo por cima, mas, pelo menos uma vez na vida, os ricos tem de descer e encontrar os pobres, esses encontros nem sempre são amigáveis.


Obs: Clique da imagem, em seguida utilize as teclas control e + para aumentar o tamanho da imagem.

Vida de Pobre

By Jânio
Postar um comentário