quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A lanterna de raio-x



"A Lanterna Sonic foi inventado por George Stetten e desenvolvido como um projeto de pesquisa no Laboratório de Análise e visualização de imagens (VIA Lab) na Universidade de Pittsburgh e Carnegie Mellon University, financiado pelo National Institutes of Health e do National Science Foundation .

Foi desenvolvido como um produto comercial sob patente licenciada, por uma nova empresa, em Pittsburgh, Insituvue , Inc.

O projeto  da lanterna Sonic Flashlight TM é uma patente  registrada nos EUA, Apoiado pelo NIH, NSF, e da Fundação Whitaker."

"Fazemos aqui uma breve descrição desse novo método de visualização que mescla imagens em tempo real de ultra-som com a visão humana direta. Nós chamamos este método de Real Time de Reflexão tomográfica (RTTR).

Através desse método, uma imagem virtual dos dados de ultra-som é criado em sua posição real dentro do paciente. A palavra "virtual" é utilizado no sentido tradicional; para todos os efeitos ópticos a luz de cada pixel emana a partir da sua localização real dentro do paciente. A fusão é independente da localização do espectador e visão estereoscópica natural. Na imagem acima, está uma fotografia de uma mão que está sendo digitalizado com ultra-som, como pode ser visto através do espelho."

Conforme texto acima, da própria universidade de Pittisburgh, a combinação de ultra-som e da própria visão humana, para exibir imagens em tempo real, permite que uma pessoa veja o que há sob a pele. Essas pesquisas com body scanners encontram-se bastante avançadas.

Esse aparelho pode criar uma visão muito mais obscura do corpo humano, a partir da visão de seus próprios músculos e órgãos vitais.

Segundo os pesquisadores, esse aparelho portátil de raio-x será muito útil para cirurgias, afinal, a partir de agora, o médico não terá que ficar consultando uma chapa de raio-x tirada, ou olhar para um monitor ao lado, ao invés disso, o médico estará com a visão de raio-x em tempo real.

Se havia um pequeno risco, quando um exame era memorizado, agora não haverá mais esse risco.

"Nós não inventamos nenhuma das peças individuais, nós inventamos a combinação", disse Shelton.

"Devido à forma como a tela, o espelho e a sonda estão alinhados, você tem a perspectiva de olhar para um pedaço do corpo da pessoa, independentemente de onde você está parado."

"A lanterna sónica exibe uma imagem dentro do campo de vista natural que pode ser usado para orientar procedimentos invasivos, tais como a recolha de amostras de sangue, sem perder a veia, cateterismos, cirurgias, ou vários outros procedimentos, ao olhar diretamente em um paciente, em vez de olhar para um monitor. As tentativas anteriores de fundir imagens médicas com visão direta têm sido largamente bem sucedida, em parte, devido à sua complexidade. Alguns têm tentado usar câmeras de vídeo em miniatura montados em um capacete. Outros têm usado uma abordagem semelhante à Stetten, mas exigem que o usuário use um dispositivo de rastreamento para determinar a localização. Stetten eliminou a necessidade de dispositivos de rastreamento e transmissores tirando pleno partido da maneira em que um espelho translúcido sobrepõe imagens a partir de ambos os lados do vidro. Ele posiciona estrategicamente um scanner de ultra-som e exibição em lados opostos de uma espelho translúcido. O espectador olha através do espelho para ver o paciente e do ultra-som scanner posicionado sobre a pele do paciente. Simultaneamente, a imagem de ultra-som é projetada lado do observador do espelho em perfeito alinhamento com o local correspondente no corporal do paciente. Isso faz com que a imagem de ultra-som pareçam ocupar o mesmo espaço físico que a parte do corpo sendo fotografada. Mesmo que o médico execute mudanças do ângulo de visão, as imagens combinadas permanecem alinhadas. O efeito se baseia em precisas relações geométricas entre a parte do ultra-som sendo digitalizado, o monitor exibindo a imagem, e o espelho. "Estamos realmente fundindo a imagem virtual em 3-D com o interior do paciente, Stetten disse. "A imagem refletida é opticamente indistinguível do espaço correspondente dentro do paciente. "Stetten também construiu uma lanterna portátil sonora que poderia tornar mais fácil e mais conveniente para uso na rotina de um consultório médico. Ambos os dispositivos fixos e móveis estão sendo desenvolvidos."

Ver através do corpo parece ser bastante interessante, resta saber qual será o uso que uma mente maquiavélica poderá fazer dela no futuro, será que países sub-desenvolvidos como o Brasil terão condições de educar, legislar e aplicar tais leis, independentemente da conta bancária?

Fonte: BBC News

Fonte: Universidade de Pittsburgh

Adaptação do texto e comentários: By Jânio

Raio-x deixa pessoas nuas

A visão do mundo pelo raio-x

Postar um comentário