sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Inteligência teórica



Certamente, há muitos testes para detectar o nível de inteligência de uma pessoa, o QI é o mais conhecido. Segundo a sabedoria popular, e sabedoria parece ser mais importante que a inteligência, inteligente é a pessoa que não faz o teste de QI.

Vendo por esse ponto de vista, o teste de QI acaba sendo um teste inútil.

Quem estuda empreendedorismo, é empresário ou já atuou em áreas administrativas, sabe que a lei da oferta e da procura é um fator determinante na avaliação do sucesso e, nesse caso, não importa o quanto a pessoa seja inteligente, o que importa é o quanto ela será útil.

Especialistas tem observado que algumas pessoas tem tido a sorte de estarem no lugar certo e na hora certa, e isso faz toda a diferença em sua carreira ou negócio, independentemente da inteligência. O conceito da física de tempo e espaço sempre será absoluto.

Deve ser muito bom ter um alto QI, aprender tudo facilmente, adaptar rápido, só não dá para superestimar habilidades, qualidades, isso pode por tudo a perder e, quando isso acontecer, haverá uma platéia muito grande aguardando. Aquela mesma platéia que aplaudia, estará vaiando e outro ditado da sabedoria popular se manifestará: "A mesma mão que acaricia é a mão que apedreja."

Todas as espécies existentes hoje na terra, sobreviveram, mas só o ser humano é considerado inteligente, apesar de ser o animal mais tolo, o único que tem ambição ilimitada e sede de poder.

O ser humano sempre quer mais do que precisa e essa nossa busca desenfreada por riquezas, pode levar-nos à nossa própria destruição.

Ser inteligente é diferente de ser esperto. Ser esperto é aproveitar oportunidades, valorizar as chances que aparecem, e isso tem levado muita gente esperta ao sucesso.

Por mais inteligente que a pessoa possa parecer, o risco de fracasso sempre será real, talvez até mais real que o risco para a pessoa de menor QI, o esperto, isso porque o esperto arrisca menos.

As faculdades tem sentido na própria pele o preço de sua prepotência. Todos nós sabemos que o sucesso não se aprende nas faculdades, mas agora está ficando pior, os déficits na infra-estrutura nacional começou a aparecer, na medida em que o país começou a crescer, nosso estudo não é mais suficiente.

Quem tem dinheiro para estudar fora, pode recuperar boa parte desses conhecimentos tão escassos por aqui mas, mesmo assim, não será suficiente para suprir os profissionais em falta.

Quem é esperto, deixa de  prestar vestibulares selvagens e procura países de bom IDH, como a Argentina, para estudar. E países de bom IDH, não há vestibulares e o estudo é confiável.

Durante quinhentos anos o sistema elitizado foi útil para a sociedade brasileira e, durante esse tempo, os aristocratas conseguiram aprimorar suas técnicas capitalistas a ponto de tornarem todos seus escravos, até a classe média alta, os milionários. O problema é que com o crescimento, tudo o que está "travado" tem de mudar.

Falta de pessoal implica em aumento de salário, com baixo salário ninguém terá interesse em estudar engenharia ou outras profissões em falta.

... e não adianta trazer de fora, porque aí ficará mais caro ainda.

A salvação da direita, taxa de juros, já está no mínimo, mas já deu para ver que o mínimo - maior taxa de juros do mundo - não será suficiente.

Os aristocratas estarão dispostos a ceder, desde que haja lucros para eles mas, dificilmente terão apoio da burguesia, classe média alta, que não os apoiará, já que seu poder e status estará em risco.

Toda vez  que há mudanças, há uma renovação no alto da pirâmide. O problema é que essa é uma situação nova para o Brasil, já que mudanças é um conceito novo por aqui.

Sabemos que as riquezas brasileiras estão em infernos fiscais, mas não há garantias nem nos infernos, caso a crise internacional piore, e é isso o que vai acontecer.

Criar intrigas com países como o Irã, não será nada inteligente, só irá piorar a situação econômica de países que já não tem mais onde se apoiar.

... e os bilderbergers estarão protegendo os seus infernos fiscais e atacando a liberdade de expressão, impedindo que pessoas inteligentes descubram toda a verdade, mas até quando isso irá funcionar?

Até quando a esperteza e inteligência humana será suficiente para barrar nossa sabedoria?

By Jânio

Criatividade na prática




Postar um comentário