sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Protestos inteligentes e criativos



O protesto da polícia  no Ceará, mostrou que está faltando inteligência nas greves do Brasil. Se cada vez que os policiais ficarem insatisfeitos, comportarem-se de maneira previsível, a greve vai perder o sentido.

Deve ser conveniente para algumas pessoas, parar de trabalhar em sinal de protesto, mas entre o conveniente e a falta de inteligência, a distância é muito pouca.

No Japão, havia um costume muito peculiar entre os trabalhadores, as pessoas trabalhavam em dobro, quando estavam insatisfeitas. Enquanto trabalhavam, uma fita era amarrada na cabeça, em sinal de protesto.

Todo bom empreendedor sabe o quanto os recursos humanos são importante para atingir os objetivos de determinados projetos.

Nas fronteiras do Brasil, mais especificamente na tríplice fronteira, a Polícia Federal costumava fazer greves que chamavam a atenção. Durante seus protestos por melhores salários, os policiais aumentavam o trabalho, o que causava um congestionamento gigantesco para a fiscalização dos carros.

A Polícia Federal sempre se destacou no país, devido a sua formação e isso tornou essa corporação muito mais eficiente e infalível, em relação às outras polícias.

Em São Paulo, os flanelinhas tomaram conta das ruas, transformando-as em propriedade privada. O comando da polícia nega que haja policiais envolvidos com essas organizações, mas a verdade é que não há mais controle na segurança do brasil, e nem a marginalidade pode ser mais contida.

A polícia pede para que as pessoas não paguem estacionamento em vias públicas, mas os brasileiros dependem de sua própria experiência para sobreviver, os brasileiros sabem o que acontecerá se não pagarem.

As milícias nos morros chegam a cobrar o dobro do valor dos roubos, mas as pessoas pagam para que não haja violência e nem mortes, e os traficantes também tem desenvolvido estratégias nesse sentido. Resumindo, a segurança virou comércio.

Recentemente, alguns burgueses iniciaram um protesto, onde as pessoas eram incentivadas a oferecer livros a quem pedisse esmolas, e poderia até funcionar, se fossem só as crianças.

O problema, nesse caso,  é que as crianças nunca estão sozinhas. As crianças são as maiores vítimas de pessoas que querem se aproveitar da boa fé dos outros, por isso, antes de oferecer um livro, é preciso ter certeza que não há um grupo de trombadões envolvidos com essas crianças, para não termos os vidros quebrados, lataria riscada ou pneu furado.

Os protestos na política são mais raros, normalmente o povo prefere mudar o comando político. Como o povo hesita, demora muito, isso possibilita que os ratos mudem de barco, voltando a organizar-se e tomar conta do submundo do poder.

A elite procura fortalecer o sistema bipartidário, argumentando que os pequenos partidos são ferramentas de negociação, esquecendo como funcionam as negociatas (PC Farias), mensalões (PT) e privataria tucana.

Um exemplo muito interessante de protesto político, foi a eleição do palhaço Tiririca.

A elite política fingiu não entender o recado, mas o fato virou notícia em todo o Brasil e até lá fora.

... e a melhor notícia eu só fiquei sabendo depois, o Delegado da Polícia Federal que desafiou os banqueiros, patrões de nossos legisladores, havia sido eleito na legenda do palhaço Tiririca.

Além da eleição do Delegado, a possibilidade do deputado ser analfabeto, dividiu opiniões e criou uma polêmica ainda maior.

Na velocidade que as notícias andam e com os correspondentes do mundo inteiro por aqui, ficou uma certeza: Os políticos podem não ter perdido a majestade (hipocrisia), mas que caíram, ah, isso caíram. caíram feio.

Os bombeiros não suportaram um salário tão baixo, protestaram e foram presos.

... e o Brasil ficou conhecido no mundo inteiro, como o país onde o profissional menos confiável prende o profissional mais confiável.

Depois desse escândalo, houveram algumas notícias de flagrantes com bombeiros, coisa que eu nunca tinha visto em minha vida. Se isso foi conspiração ou não, já não importa mais, não se pode mudar a história.

Isso até me lembrou do jornalista Boris Casoy, aquele que ofendeu os garis. Poucos dias depois, a notícia de que alguns garis haviam colocado pedras, para evitar que mendigos dormissem embaixo da ponte, deixou-me intrigado.

Lembro-me de uma autoridade, pessoa conhecida, que disse: Não importa o que falem ou denunciem depois, quem denuncia primeiro, sempre terá vantagens.

Portanto, DENUNCIE SEMPRE, a melhor defesa pode até ser o ataque, mas pode ser a sua própria defesa também.

By Jânio
 



Postar um comentário