segunda-feira, 16 de maio de 2011

Uma mulher e um caveirão aterrorizam o México




Traficantes do México transformaram o país numa zona de guerra, em estados como Nuevo León, Coahuila e Tamaulipas, até grupos de guerrilhas criaram uma versão do Caveirão brasileiro. Com o veículo blindado, eles desafiam a polícia e aterrorizam a população.

O "Monstruo 2.011" foi criado pelos guerrilheiros mexicanos Los Zetas, com o objetivo de enfrentar o Governo Mexicano. O veículo transporta até 12 pessoas e pode alcançar uma velocidade de até 110 quilômetros por hora.

Apesar de sua blindagem e velocidade, o "Monstruo 2.011" tem um ponto fraco, os pneus, e são os pneus as partes mais visadas pela polícia mexicana, para parar o monstro.

Países latino-americanos tem problemas em comum, um dos maiores problemas são as formações de guerrilhas por criminosos, uma ameaça real aos Estados abandonados pelos Governos corruptos. Brasil, Peru, Colombia e México, todos eles enfrentam problemas sérios de segurança.

No México, os traficantes chamam mais a atenção por causa da fronteira com os EUA, alguns estados, cidades ou praias, são procuradas por turistas americanos, devido a facilidade de compra e distribuição de drogas.

Los Zetas tem praticado extorsões, sequestros e terrorismo no território mexicano, e assustam até seus vizinhos americanos, numa região onde já morreram cerca de 34.600 pessoas, desde 2.006 até 2.011.

Num ambiente de guerra, o maior cartel do país é dirigido por uma mulher. Enedina Arellano Félix é a "madrina" do tráfico, chefe do cartel de Tijuana.

O cartel de Tijuana, além de ser o mais poderoso do México, é o mais famoso também. Nesse Cartel, a família Félix reina absoluta.

Depois da prisão dos dois irmãos, a madrinha do tráfico mexicano tem mostrado habilidade na administração do crime organizado.

O Caveirão Mexicano parece um veículo de filmes de ficção, enquanto os chefes do tráfico entram para a lista dos homens (e mulheres) mais ricos do mundo.

Bem-vindos ao futuro, bem-vindos à nova idade média.


Fonte: RT-TV

Texto: Jânio
Postar um comentário